quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Happy New Year!


Desejo primeiro que você ame,
E que amando, também seja amado.
E que se não for, seja breve em esquecer.
E que esquecendo, não guarde mágoa.
Desejo, pois, que não seja assim,
Mas se for, saiba ser sem desesperar.
Desejo também que tenha amigos,
Que mesmo maus e inconseqüentes,
Sejam corajosos e fiéis,
E que pelo menos num deles
Você possa confiar sem duvidar.
E porque a vida é assim,
Desejo ainda que você tenha inimigos.
Nem muitos, nem poucos,
Mas na medida exata para que, algumas vezes,
Você se interpele a respeito
De suas próprias certezas.
E que entre eles, haja pelo menos um que seja justo,
Para que você não se sinta demasiado seguro.
Desejo depois que você seja útil,
Mas não insubstituível.
E que nos maus momentos,
Quando não restar mais nada,
Essa utilidade seja suficiente para manter você de pé.
Desejo ainda que você seja tolerante,
Não com os que erram pouco, porque isso é fácil,
Mas com os que erram muito e irremediavelmente,
E que fazendo bom uso dessa tolerância,
Você sirva de exemplo aos outros.
Desejo que você, sendo jovem,
Não amadureça depressa demais,
E que sendo maduro, não insista em rejuvenescer
E que sendo velho, não se dedique ao desespero.
Porque cada idade tem o seu prazer e a sua dor e
É preciso deixar que eles escorram por entre nós.
Desejo por sinal que você seja triste,
Não o ano todo, mas apenas um dia.
Mas que nesse dia descubra
Que o riso diário é bom,
O riso habitual é insosso e o riso constante é insano.
Desejo que você descubra
,Com o máximo de urgência,
Acima e a respeito de tudo, que existem oprimidos,
Injustiçados e infelizes, e que estão à sua volta.
Desejo ainda que você afague um gato,
Alimente um cuco e ouça o joão-de-barro
Erguer triunfante o seu canto matinal
Porque, assim, você se sentirá bem por nada.
Desejo também que você plante uma semente,
Por mais minúscula que seja,
E acompanhe o seu crescimento,
Para que você saiba de quantas
Muitas vidas é feita uma árvore.
Desejo, outrossim, que você tenha dinheiro,
Porque é preciso ser prático.
E que pelo menos uma vez por ano
Coloque um pouco dele
Na sua frente e diga `Isso é meu`,
Só para que fique bem claro quem é o dono de quem.
Desejo também que nenhum de seus afectos morra,
Por ele e por você,
Mas que se morrer, você possa chorar
Sem se lamentar e sofrer sem se culpar.
Desejo por fim que você sendo homem,
Tenha uma boa mulher,
E que sendo mulher,
Tenha um bom homem
E que se amem hoje, amanhã e nos dias seguintes,
E quando estiverem exaustos e sorridentes,
Ainda haja amor para recomeçar.
E se tudo isso acontecer,
Não tenho mais nada a te desejar.

Victor Hugo


Acho que as palavras de Victor Hugo refletem o que desejo do fundo do coração a todas as pessoas que passam por aqui, neste bolg e no meu coração.

Feliz Ano Novo!

quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Feliz Natal!


Feliz Natal!


Ontem tive uma das experiências mais emocionantes dessa vida. Fui pela primeira vez à Caravana do Natal, promovida há 29 anos por pessoas do movimento espírita. Consiste na reunião de pessoas com vontade de fazer a caridade, somada a doação de alimentos, roupas, calçados, brinquedos e principalmente amor. Até aí tudo bem, afinal muita gente faz isso, mas na noite de natal? É isso mesmo, mais de 200 pessoas estavam em plena noite de natal no centro da cidade, cantando músicas para harmonizar o ambiente e amenizar um pouco a dor daquelas pessoas que passam por provações tão grandes nessa existência.

Sabemos que nada é por acaso, só colhemos o que plantamos, mas fazer a caridade é a nossa missão maior, embora cada um carregue a sua missão individual. Havia adultos, homens, mulheres, crianças e idosos, todos com o mesmo objetivo: levar harmonia para aquelas ruas do centro, hamornia para a cidade de Fortaleza. Havia ruas que não tinha ninguém, ainda assim cantávamos com a mesma alegria e empenho, pois sabemos que existem inúmeros espíritos desencarnados que habitam o orbe há muito tempo lá, precisando de prece, de paz, de harmonia. Mas pra mim, o momento mais emocionante foi quando paramos em frente ao Hospital São José para cantar a Oração de São Francisco, de repente várias carinhas começaram a aparecer nas janelas acenando com uma das mãos, pois a outra segurava o soro. Quando encontrávamos famílias inteiras, dormindo nas ruas do centro, com filhos pequenos, idosos, enfim, famílias como qualquer outra, podeira ser a nossa, poderia ser nós, era o momento em que entregávamos o pouco que tínhamos para oferecer, mas que para eles era muito, era tudo. Mas por motivos aos quais desconhecemos no momento não estamos lá, por isso que esse tipo de trabalho é tão importante. Nos leva à reflexão de nossas vidas. De nossas atitudes. Valorizar o que temos e o que não temos é essencial para que possamos repensar nossos conceitos.


Pela primeira vez dei ao Natal o seu real valor.


E ainda dizem que o mundo está cada vez mais egoísta, cada vez mais individualista. Será?


Depois fui para a casa de meu namorado passar por mais uma experiência nova: passar natal com o ser amado e sua família.


A minha família nunca foi de se reunir no natal, era difícil, por mais que fisicamente nos reuníssemos (raras vezes) não havia harmonia, entrega, era uma coisa morgada, sem graça, sem sentido.


Tenho muita vontade de formar a minha família para que possamos fazer um lindo natal, com família, amor e união.


Feliz Natal ho ho ho

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Sapatos nº 42 não foram suficientes

No último domingo o mundo foi vingado, ou melhor, quase.
O Presidente mais odiado do planeta, o mais hipócrita e o mais mentiroso - segundo uma pesquisa de um canal americano - George W. Bush, foi agraciado com duas sapatadas de um repórter iraquiano.

Numa coletiva de imprensa ao lado do Premier iraquiano, Nuli Al-Maliki, o quase EX-todo poderoso ficou com cara de tacho ao ser rebolado um par de sapatos em sua direção.Infelizmente ele tem ótimo reflexo e nenhum dos dois o atingiu, mas não foi apenas isso, esse ato teve um plus, duas frases:
"É o beijo de despedida, seu cão”, disse o jornalista em árabe. Em seguida completa: " Você é responsável pela morte de milhares de iraquianos".

Na cultura árabe, ser chamado de "cão" é um grave insulto e os sapatos são um instrumento de desprezo, pois são considerados sujos. Em 2003, os iraquianos atacaram da mesma forma a estátua de Saddam Hussein: com sapatadas.


Em seguida ao ato de coragem do jornalista, o Presidente Bush, com o cinismo de que lhe é peculiar, disse: " não me incomodo".Claro que não se incomoda, não precisa nem dizer.Suas ações impensadas ou não, mataram e continuam matando milhares de pessoas inocentes, em nome de uma mentira inventada por ele, para justificar um guerra sem sentido.



"Isto não me chateia. Se vocês quiserem fatos concretos o sapato era de tamanho 10 (42 no sistema americano)", brincou George W. Bush, minimizando o ocorrido. "Não sei que causa ele defendia. Não me senti de forma alguma ameaçado", declarou.


Suas declarações só mostram sua pequenez de espírito - falando no sentido pejorativo da palavra, é claro - pois depois de tantas mortes, envolvendo homens, mulheres, crianças, mães, idosos, famílias se desfazendo há 5 anos, desde a invasão das tropas americanas ao Iraque. E vem declarar que não sabe o que o jornalista defendia? é muito cinismo!


Enquanto isso, no Iraque, o canal de televisão Al-Bagdadia pediu às autoridades iraquianas que libertassem Mountazer al-Zaidi : "em nome da democracia e da liberdade de expressão que o novo regime e as autoridades americanas prometeram ao povo iraquiano".

O autor de tal episódio foi o repórter da TV Al-Baghdadiya, Muntazeral-Zaid, que, livre ou não já é considerado um herói, por ter feito aquilo que milhares de pessoas no mundo inteiro sempre teve vontade de fazer.


=)

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Vale a pena?



Mar Salgado


Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos,
quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!
Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!

Valeu a pena?
Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.
Quem quer passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu.

Fernando Pessoa


Hoje dedico esse blog aos eternos sonhadores, mas queles que não apenas sonham, mas que também colocam a mão na massa e correm atrás do que querem.
Às vezes cansa lutar tanto, dá a impressão de que quanto mais lutamos mais longe de alcançarmos está, porém é um grande equívoco.
Na realidade, se estamos lutando com afinco pelo que queremos, mais cedo ou mais tarde o que merecemos virá e a vitória vai ter um gosto maravilhoso, de conquista, de sucesso.
Ser concurseiro não é fácil, mas um dia a gente vai conseguir a tão almejada nomeação.
Se a alma não é pequena, sempre valerá a pena lutar!
Aloha =]

sábado, 29 de novembro de 2008


Olha que conincidência eu ter encontrado essa figura justo hoje, dia seguinte ao post de ontem, que falava justamente de aprendizado e amor.
Concordo em gênero, número e grau com essa frase.Será que existe no mundo algo que nos ensine mais que o amor? na alegria nos ensina a valorizar as coisas boas da vida, principalmente a presença do ser amado.Na tristeza também ensina, às vezes muito mais do que imaginamos, porque será que temos a sensação de que nossa dor é a maior do mundo e que não a merecemos?isso parece tão comum pra todo mundo, de qualquer sexo, viu.Homens e mulheres são alvo dessa escola linda, encantadora, apaixonante, muitas vezes dura, mas que tanto gostamos de ser alunos.
O que eu tenho amadurecido de fevereiro pra cá, não tá no gibi...Graças a Deus, pois antes disso, antes do Diel aparecer na minha vidinha sem graça, era tudo tão sem sal, tão fora de ordem, passei boa parte da vida com a sensação de que estava faltando alguma coisa.E não é que estava mesmo...
Beijoooo

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Viagem e aprendizado

Me considero uma pessoa de muita sorte.Sempre tive essa consciência, ainda bem, pois existem pessoas que não têm.
De repente do nada fui convidada por uma amiga pra passar 5 dias em Salvador.Puxa vida, quando a minha tia disse q eu iria sim pra essa viagem eu pireeeei.Fiquei tão empolgada com a possibilidade de conhecer outro lugar, outros ares, e logo num momento desses de pressão.Ser concurseiro não é fácil, a pressão que as pessoas colocam em você mesmo que implícita pesa, mas a que você mesmo se coloca é a pior.Então pensei eu que seria bom passar uns dias longe da rotina, de livros, de apostilas, de leeeeiss.
Mas só que essa viagem me trouxe mais que apenas prazer e diversão, me trouxe alguns aprendizados.Que bom né.Quase sempre o ser humano deixa essas oportunidades de aprendizado passarem.O orgulho que se tem fala mais alto que o óbvio.

Pois bem, aprendi sabe o quê?

Que meu namorado é muuuito mais importante pra mim do que imaginei.Quando me vi louca para pelo menos ouvir a voz dele pelo celular (que não funcionou lá)e quando finalmente depois de 2 dias consegui dizer umas frases - e olha que eu tava bem aqui no nordeste msm rsrs - chorei.Parece bobagem isso que tô dizendo, mas eu sempre deixei claro pra mim e para todo mundo que namorado nenhum ia tirar a minha liberdade.Isso era a visão destorcida que eu tinha de amor.Pra mim, as pessoas abdicavam de si mesmas, de suas personalidades por outro, pelo outro.E deixavam de ser elas mesmas para se transformarem em alguém não-individualizado, era DOIS e não apenas UM + UM.Só que eu nunca tinha vivido nada com ninguém à ponto de estar no lugar dessas " outras " pessoas.Agora eu entendo porque que os namorados preferem sair uns com os outros.Porquê, como diz Nando Reis em uma de suas inúmeras canções: " as coisas lindas são mais lindas quando você está".E é mesmo.A vida tem mais cor, tem mais alegria, tem mais tempero quando se está do lado de quem amamos.Gostei dessa viagem.Salvador é linda, mas certamente eu teria amado se meu amor tivesse do meu lado.


Não apenas ele, mas também queria que a minha tia linda tivesse ido.Ela que já foi pra lá sem mim, me deu a maior força pra eu conhecer.Quer saber de uma coisa? eu queria ter levado na bagagem todo mundo que eu gosto além da minha amiga que me levou, é claro!ótima companhia também.



Também aprendi que concurseiro que é concurseiro não tem que desopilar de nada, porque isso é dar espaço para a dispersão e assim os que não descansaram, ou seja, os que não dormiram no ponto, passam na sua frente.Tô penando para voltar à velha rotina, minha cabeça tá voando, tô preguiçosa, acho que trouxe a preguiça baiana comigo kkkkkkk.



Bom, essa foi outra coisa que aprendi : os baianos realmente são mais "relaxados".Eles trabalham, mas não deixam de viver.Conheci um garoto que vendia blusas na praia e ele me falou isso, que estava lá na lida desde manhã, mas que era a sua última volta, e era só 14h.Se fosse aqui ainda estaria na metade da jornada.Ele e mais um outro rapaz que vendia óculos de sol me explicaram que baiano trabalha, mas não também vive, relaxa.Eles estão é certos.Do que adianta se estressar demais para ganhar dinheiro, se esse dinheiro não pára na mão, no bolso em parte alguma, pois ele só vai servir para pagar as contas.Tudo tem que ser levado com mais tranquilidade, com menos pressão ( aqui estou eu de novo com essa palavra).


Tem uma coisa na Bahia que é única, que passei horas de uma tarde de domingo sentada numa cadeira e guarda-sol alugados prestando atenção: a beleza do povo. Eles são realmente muito bonitos em tudo, a pele, o jeito de andar, sei lá, é um jeito baiano encantador, deve ser isto que apaixona os estrangeiros.Ah tem outra coisa também que é só delez: eles são muuuito senhores de si. Tem um ar de destemidos. De que estão com a bola toda. é engraçado, tirando a parte dos que estrapolam.Vi uma esntrevista na tv enquanto estive lá que achei interessante. Um estrangeiro falou que hoje em dia o Brasil tem sido visto lá fora por algo além do Pelé e do samba, mas também pela beleza que traduz uma alegria, ou seja, pra eles, brasileiro é acima de tudo FELIZ.

Axé!

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Necessidade de Humanização dos Serviços Públicos de Saúde


Existem coisas na vida que de tão óbvias prescindem de imperativos de quem quer que seja. O apelo às humanização é uma delas, precipuamente no que tange à saúde.


Todavia, este é o setor que mais necessita de campanhas e mobilização para que o carinho, o afago e o amor sejam efetivamente colocados em prática, haja vista serem fatores de grande auxílio na promoção e recuperação da saúde do paciente.


Ademais, todos saem lucrando com boas maneiras, os que estão em tratamento e os que estão ali para tratar; pois que sorriso, abraço, palavras e ações positivas fazem bem para qualquer ser humano, enfermo ou não; conseqüentemente, estes evitarão futuras doenças físicas, psíquicas e emocionais. O bem-estar é contagioso.


Temos visto muitas notícias relativas a hospitais, onde pacientes morrem nos corredores por falta de leitos, mas também por falta de um olhar , um aperto de mão, atitudes que certamente todos gostariam de receber .O descasp faz mal à saúde, agrava o melhor dos prognósticos.


Em virtude disto urge que os profissionais da área de saúde, que escolheram esta como sua, estudem, especializem-se, mas também humanizem-se, que sejam pessoas no trato com pessoas, que a rotina não lhes tirem a sensibilidade e que os problemas não lhes sejam justificativas para tatarem os pacientes do Sistema único de Saúde - leia-se: desprovidos de condições financeiras para estarem em hospitais particulares - como estorvos.





*redação do concurso do Ministério da Saúde(02/11/08)

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

O TRABALHO INFANTIL NA REALIDADE BRASILEIRA

Nosso país, infelizmente, tem se mostrado uma imensa decepção, quem diria que o Brasil, o país do futuro iria colecionar dessabores, uns mais amargos que outros.Tem para todos os gostos: de representantes corruptos sedentos por uma oportunidade para nos roubar cada dia um milhão a mais à crianças perdendo minutos a minuto suas ingenuidades.
Na realidade a última "imperfeição" de nosso país, acima citada, é consequência da primeira.Afinal, há crianças nos semáforos tendo que vender seus sonhos em forma de bombons justamente pela falta de escrúspulos de parlamentares desumanos.
Diante de tantas belezas naturais, a começar pela do povo, bem que o maior país da América Latina poderia cuidar-se com mais afinco.Tirar a chance de um ser humano tão inocente, ingênuo e dependente de estar na escola, de brincar, de parar e sorrir com um amiguinho por uma bobagem qualquer, é no mínimo, um suicídio.
Vermos crianças se prostituindo por quantias irrisórias, outras servindo de escravas na lavoura e outras tantas pedindo esmolas de sol a sol só mostra como nós, partícipes dessa sociedade, somos inertes e desprovidos dos cinco sentidos quando nos convém, pois nos tornamos surdos ao escutar uma criança pedindo ajuda, ainda que em silêncio, cegos quando paramos um segundo para olhá-las, mudas ao calarmos em vez de falarmos palavras de acalanto, enfim conseguimos fingir que nada disso acontece todos os dias em nossa volta para massagearmos o nosso ego ao fazer de conta que não temos nada a ver com o problema dos " outros".
Bem!Chega de reclamação, chega de hipocrisia, chega de tanta inércia.Se queremos um país digno, nos esforcemos para sê-lo hoje, começando a respeitar a criança brasileira, que bem cuidada e preservada, certamente conseguirá fazer desse país um lugar sério, com o trabalho e o desrepeito infantil sendo abolido totalmente da nossa sociedade.Que um dia bem próximo, possamos nos orgulhar de sermos felizes no lugar em que nascemos.
obs: essa foi uma redação que fiz para o ENEM de 2005.Achei cheia de muita emoção.Não pode.Hoje eu não escreveria assim, embora continue concordando com o que eu pensava na época
Até ri qdo li kkk.

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

BRASIL - ESTACIONOU OU SE DESENVOLVEU?

             Não faz muito tempo que o Brasil era o chamado "país do futuro".Nessa época a esperança era o que movia a todos, na verdade ainda é.
                       Podemos analisar o desenvolvimento de nosso país sob duas óticas: a do pessimismo e a do otimismo.Na primeira o país pouco progrediu, a violência aumentou, o índice de miséria também, a classe média baixou seus padrões de qualidade e foram somados a novos.Sob a segunda ótica, vemos, praticamente, um outro país, onde as oportunidades de adentrar no serviço público estão mais democráticas, onde a solidariedade está na moda, onde a tecnologia está sendo acompanhada e se tem orgulho de dizer que é brasileiro;pois, finalmente, alcançamos um índice de crescimento econômico digno de ser comemorado, numa época em que a maior potência do mundo atravessa uma crise.
                   Contudo, para que esqueçamos a idéia de que tudo de bom está apenas no futuro e que podemos viver um belo presente, devemos lembrar que existe uma luz no fim do túnel: a educação.Só por meio dela conseguiremos diminuir ou até mesmo erradicar a prostituição infantil, apenas com ela conseguiremos lutar efetivamente pelas nossas crianças e pelos nossos adolescentes contra o narcotráfico, somente com a educação passaremos a ser um país digno de verdade, sem crianças pedindo dez centavos nos semáforos, sem idosos abandonados à própria sorte, um país com menos desigualdade social e mais alegria de viver.






obs: esta é a 2º de uma série de redações que estou fazendo toda semana, como treinamento para os concursos da vida.

domingo, 5 de outubro de 2008

Feliz Aniversário CF!

Hoje é dia de eleiçoes Municipais.Também é aniversário de 20 anos da Constituição Federal.Dia de sair de casa sem vontade, para cumprir uma obrigação cívica constante numa Constituição que poucos conhecem.A mais democrática, a que tem o apelido de "cidadã".Não entendo essa democracia que todos aceitam numa boa, claro que em relação aos remotos tempos da ditadura( remotos pra mim que ainda não tinha nascido naquela época, né....) as coisas realmente mudaram.O voto é direto, secreto, universal e periódico, mas OBRIGATÓRIO.Combina com democracia?Acho que não, mas essa obrigatoriedade não é uma cláusula pétrea, ou seja, pode ser modificada por Emenda à Constituição.

O ato de votar não é de todo ruim, olhando com os óculos do otimismo, nos foi dado o direito de optar, de escolher quem nos representará, NÃO ao voto de cabresto.Porém, a obrigatoriedade é que não me é bem vista, nem a mim e nem a uma grande parcela de pessoas que compraram a camisa do VOTO NULO -  aquela que minha professora de inglês usou durantes muitas aulas rsrsrs - como um protesto ao voto obrigatório.

Não faz sentido vivermos em um Estado democrático de Direito e sermos coagidos a escolher alguém dentre uma lista inteira de pessoas não-confiáveis, sob pena de não o fazendo perdemos nossos direitos políticos, isto é, deixarmos de ser cidadãos.Poucas pessoas sabem, mas o que nos torna cidadão, é o título de eleitor.Será que isso tem sentido?Muitas coisas mudaram com a Carta Magna de 1988, mas muitas ainda não saíram do papel.Os direitos e garantias individuais e coletivos são lindos de se ler, mas difíceis de serem efetivamente colocados em prática.

Sei que ainda verei a mudança do voto obrigatório para o voto facultativo e nesse dia talvez irei sair de casa para votar com muito mais felicidade, me sentindo detentora de reais direitos políticos, me sentindo muito mais cidadã.

=)

sábado, 27 de setembro de 2008

A LINGUAGEM É UM PODEROSO INSTRUMENTO DO DIREITO

                        A necesssidade de comunicar-se é algo inerente à espécie humana.A linguagem utilizada para isso evoluiu junto com o homem.No mundo jurídico a linguagem é bem peculiar, haja vista demosntrar a riqueza cultural que seus operadores possuem, porém estes deveriam ser mais cuidadosos ao manejá-la.
                        As peças jurídicas bem como qualquer outra obra editada na área são inundadas por bonitos vocábulos, expressões em latim e brocardos jurídicos que estão prontos para cumprir seus papéis, a saber:encher os olhos de quem os lê, fazendo com que os recém adentrados no referido universo se vejam instigados a aperfeiçoar seus leques de expressões lingüisticas com o escopo precípuo de elevar o nível de seus discursos e assim conseguirem provar que estão corretos em seus argumentos.
                       Todavia, muitos operadores do Direito esquecem que o alvo de seus discursos não são apenas seus colegas, mas também os que foram em busca de justiça.Diante disso, muitos leigos se vêem na desconfortável posição de completa ignorância jurídica;pois, se já não bastasse o desconhecimento da lei em si, esta vem acompanhada de palavras de difícil compreensão.
                       Destarte, no Direito a linguagem é um instrumento de poder nas mãos e língua - já que a linguagem escrita é transportada para o discurso verbal - de quem os detém, pois para os que são operadores do Direito as palavras refletem suas posições de igualdade cognitiva, já para os leigos refletem suas ilusórias posições de superioridade.

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Que efeito é esse?


Hoje eu tô naqueles dias em que não sei como estou.E olha que nem estou "naqueles dias" kkkkkk
é que parece que tô com uma avalanche aqui dentro.Tem horas que estou feliz, outras em que não estou tanto assim...Mas de repente comecei a me sentir triste, do nada.Que droga, detesto estar assim porque tenho medo de ninguém me entender, porque afinal nem eu mesma me entendo, que dirá os outros...
Acho que o que tô sentindo hoje é algo parecido com uma pessoa perdida no meio do nada, ao mesmo tempo cheio de gente que sabe onde está, menos eu.Estava lembrando de quando estava trabalhando na Funcet, tinha dias em que parecia que não era o meu ambiente, meu lugar.Depois que saí de lá a casa é que passou a ser o lugar em que não deveria estar, pelo não o dia inteiro, e tome sensações de desconforto novamente.Em seguida veio o que tanto queria: um trabalho e não é que lá também me senti( por alguns dias) meio assim, ou seja, meio Patrícia, como estou achando que isso é exclusividade minha vou até nominar de efeito Patrícia.Tô parecendo que estou zoando, mas não estou não, é puro fato.
Se eu não fosse espírita e não soubesse que isto, provavelmente, é consequência de uma noite bem acompanhada e que a vontade de ficar por lá veio comigo quando retornei ao meu corpo, estaria achando que era verde num lugar onde todos nasceram amarelos.
Como será ser normal?
Será que é bom?
Ou será entediante?Se for pra ser assim prefiro ser anormal mesmo pelo menos assim continuarei igual a todo mundo kkkkk
Às vezes prefiro não pensar, não divagar sobre mim mesma, é mais difícil saber quem sou eu( ou quem ESTOU eu) do que encontrar um programa bom na tv aberta num domingo.
Preciso me levantar, não posso ficar igual a esse moça (com botas desconformes e vestido cor de banana madura) sentada numa cadeira.
Mas quem sabe um dia eu não consiga...
=/

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Herança Biológica?

Diante de tantas palavras que sempre ouço, tantas opniões a respeito de minhas características, ontem ouvi algo que me deixou superpreocupada e pensativa.A minha tia disse que às vezes faço coisas tais quais a que minha mãe (biológica) fazia, principalmente com o meu pai.Levando em consideração que ela o tratava mal isso não foi um elogio.Infelizmente, pareço carregar semelhanças vindas no gen porque convivência zero não pode ter me feito tão igual a ela.Em virtude disso, tenho tentado veementemente agir diferente do que ela agiria, isto é, diferente de como eu estava agindo.Não é tarefa tão fácil, mas as últimas horas têm me trazido paz e alegria, então, fazer com que as pessoas que me cercam sintam que eu as amo pode fazer mais bem para mim do que propriamente para elas.Preciso contribuir para um ambiente saudável, equilibrado e sereno.Esperar que esses adjetivos apenas venham dos outros é egoísta demais.A paz tem que partir de mim, e como um imã atrairei tudo em dobro.Graças a Deus (só Ele mesmo para me entender) tomei consciência à tempo das bobagens que andava fazendo.Sei que já tenho 31, mas será que essa consciência já não é um presente de aniversário?tem pessoas que nascem e desencarnam e ainda não aprendem nada.Claro que o aprender não quer dizer colocar em prática, mas no meu caso, farei com que seja.Já avisei que se eu recomeçar a agir como uma louca podem me avisar e me dar um gelo daqueles, só assim passarei horas chorando, me arrependendo e agradecendo a todos por me amarem tanto.

=)

domingo, 21 de setembro de 2008

e r u p ç ã o

Houve um tempo em que estar perdida era tão normal, comum pra mim, que já vivia acostumada com isso, esse período passou, e hoje quando me vejo desorientada novamente não sei mais lidar com esse sentimento, logo, estou ainda pior.Ou não.Já que tudo tem um lado positivo e outro negativo.
Passei tanto tempo pedindo a Deus que colocasse alguém na minha vida que me fizesse acreditar que eu pudesse ser amada e quem sabe assim eu aprendesse a amar.Pois bem, Ele colocou.E sabe o que eu fiz?não soube lidar com isso.Tem algo aquei dentro que insiste em me dizer que as coisas não estão certas, que não é assim que a banda toca, que me faz voltar a ser rebelde, grossa, ignorante e a ser aquela pessoa que tanto detesto.Não sei o que fazer pra me controlar.Acabo magoando os que amo.Essa coisa de mágoa é muito séria porque todo mundo acha que apenas quem sofre é o sujeito passivo, mas não, quando o sujeito ativo descobre as burradas que andou fazendo desaba.Foi o que aocnteceu comigo ontem.Descobri que não mudei coisa nenhuma, apenas o vulcão Patrícia adormecia, contudo, algo que com que ele entrasse em erupção.Engraçado que fazer essa analogia me faz imaginar que quando ele ( o vulcão) estava adormecido era que estava a magoar os que amava, quando entrou em erupção ele deixou de magoar, pelo menos é assim que me sinto.Não sei se estou me fazendo entender, tá meio confuso ainda.A única coisa que sei é que algo tem de ser feito para limpar toda a sujeira que ele deixou.Será que vai ser fácil?claro que não...

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

voltei!

Desde julho que não visito meu cantinho, não foi por falta de vontade, e sim por falta de tempo.Depois de um semestre inteiro ociosa, voltei a fazer parte das estatísticas dos que são ativos economicamente, ou seja, comecei a ralar de novo.(rsrs)
Foi 1 mês e meio muitos bom(ns), conheci pessoas maravilhosas, educadíssimas, gentis, pacientes, enfim, tive uma sorte grande no Bradesco, principalmente de tirar a péssima impressão que fiquei de trabalhar com mulheres quando estive 2 anos na Prefeitura.Na minha cabecinha de vento, as mulheres eram muito difíceis de se conviver, imagina todo santo dia no trabalho, mas graças a Deus e as mulheres inteligentes, guerreiras e competentes que conhcei no banco hoje não penso mais assim, essa era uma visão muito limitada e com certeza errônea.
Saí por motivos de força maior, o ambiente de tarabalho era ótimo, mas infelizmente a remuneração ficou a desejar, mas sei precisava passar por essa experiência por inúmeros motivos, mas os principais são: eu precisava me sentir gente de novo, essa coisa de ficar ociosa é o fim, não dá pra mim, é péssimo, ficar sem fazer nada dá uma preguiça de fazer tudo, eu estava me acabando (rsrsrs), o outro motivo foi e é o mais importante, preciso ESTUDAAAAR pra ser gente, pelo menos gente do jeito que todo mundo merece ser, com um trabalho digno que proporcione a você grandes e pequenas realizações, aquelas que fazem o dia valer a pena.Enfim, a minha saída foi escolha minha, mas uma escolha sensata, plausível, afinal, como muitos me disseram no Bradesco no festinha de despedida que fizeram para mim ( é sério, teve!) eu preciso aproveitar que sou "nova" que é o tempo de plantar para colher frutos maravilhosos num futuro próximo ou não.Deus é que sabe, só sei que eu tô de volta à fatia dos que não trabalham bem como à fatia dos concurseiros profissionais, leia-se: sofredores kkkk
Muita saudade desse cantinho que é meu e seu (afinal eu escrevo não apenas para eu ler e sim meus amigos queridos também)
Beijossss
=)

quarta-feira, 23 de julho de 2008

photos

Além do horizonte existe um lugar, bonito e trnquilo pra gente se amar...
resolvi postar essas fotos aqui porque achei lindas e românticas hihi


Ich und meine Liebe

terça-feira, 22 de julho de 2008

solidão não tá com nada


Sábado fui assistir o filme HANCOCK, com o Will Smith, aliás fui com meu namorado Diel, o Will é o astro do filme rsrs, a língua portuguesa é osso, linda, mas também consegue confundir.Bem, o filme não é lá essas coisas, tenta ser engraçado e tals, mas filmes que têm muitos efeitos especiais só servem para preencher os olhos, homem que voa...que tem superforça...que é imortal...muito fantasioso não faz muito minha cabeça, imortais todos somos mas esse corpo que tomamos emprestado para esta existência um dia perece, ele não é imortal, o que o anima é, ou seja o espírito, mas enfim, não é isso que eu quero falar.O que eu quero dizer é que até num filme onde a mentira cinematográfica impera dá pra tirar algo de construtivo.O desse especificamente é que o super Will Smith tinha todas as características que citei acima, mas...não era feliz.Vivia bêbado, caindo pelas ruas, com uma depressão crônica de dar dó, detalhe: o filme se passa nos dias atuais, ou seja nada de futurismo, ele era triste por não ter ninguém, por não ter uma família que o amasse, por não ter para onde voltar depois de salvar alguém, aliás essa parte de salvar é engraçada, ele passou a ser um anti-herói porque toda vez que ele descia do céu para salvar uma pessoa em perigo ele destruía o patrimônio público, salvava apenas e tão somente "a pessoa", mas acabava com as ruas, com os prédios, com os calçamentos...tudo porque a bebida era a única amiga dele.Até que um dia ele encontrou uma pessoa que quis ajudá-lo, lhe ofereu a mão, lhe deu vários conselhos, difíceis de serem aceitos por ele, pois quando se está no fundo do poço é complicado voltar a ter fé, esperança, é mais fácil crer no fracassado que já é do que arranjar forças para tentar mudar, isso para quem se acha numa situação semelhante a dele, o que não é difícil de encontrar.Logicamente que essa atitude difere de pessoa para pessoa.Mas estive pensando... só o que tem nas esquinas desse país são Hancocks, alguns dirão: mas não tem superpoderes.Eu pergunto: será que não?acordar todos os dias sem ter o que comer, beber, vestir, e continuar sobrevivendo sem nenhuma perspectiva de mudança, de um futuro diferente...será que essas pessoas não têm superpoderes?e tem aquelas que têm um emprego sim, mas que se morar numa grande cidade precisa acordar-se às 4h da matina para pegar 3, 4 conduções para chegar ao local de trabalho e no final da jornada fazer todo o trajeto novamente de volta para apenas ver um filho e/ou um cônjuge que certamente já estará na cama.A meu ver, essas pessoas são muito fortes, têm uma fortaleza dentro de si que poucos conseguem enchergar.Eu não sei se conseguiria viver assim.Em suma, o astro do filme, se transformou, claro, virou um superherói típico, com uma roupa de couro que parecia com enchimento, de repente os músculos dele ficaram maiores ainda, e lá se vem o amor (tinha que ter né) aparecer num filme onde inicialmente só iria ter as conhecidas piadinhas do Will.Ele inconscientemente for atraído para a mulher que o completava há milhares de anos, a tristeza dele era maior porque além de não ter ninguém ele também não tinha memória.Agora se imagine, completamente só num lugar onde você é único na sua espécie, que nem lembranças de um passado você tem para recordar?Que coisa horrível.Existe uma canção do Peninha que diz: "mas não tem revolta não/eu só quero que você se encontre/ter saudade até que é bom/é melhor que caminhar vazio(...)" e eu concordo com ele, quantas vezes já me vi acompanhada de boas lembranças quando estava fisicamente só.Eu consegui extrair coisas boas deste que seria apenas um filminho light do Will.Tomara que todos que assitiram também tanham conseguido o mesmo.
=]

sábado, 12 de julho de 2008

moral




Já faz um tempo que tô com vontade de escrever sobre honestidade, caráter, boa-fé...essas características aí que fazem de um simples ser humano habitante dessa orbe um verdadeiro cidadão.


Tem novelas que vão ao ar com personagens dotados de sentimentos tão extremos que achamos que é um exagero desnecessário do autor, perdemos até a vontade de assirtirmos para não termos contato com tantos sentimentos negativos, mas existem pessoas ao nosso redor daquele jeito viu, dissimulados e com talento para atuar bem melhor que os atores da novela, na vida real o personagem tem que ter mais frieza ainda, pois não dá pra voltar a cena para repetir.


É impressionante como nos últimos tempos isso tem me feito pensar.Sou de uma família extremamente honesta, a nossa educação sempre foi focada em princípios de boa-fé, sempre fomos orientados para tratar os outros como quereríamos que fôssemos tratados, ou seja, com respeito.Mas a educação da gente de geração em geração nunca foi apenas com palavras, mas com atitudes mesmo, com certeza foi e é isso que fez e faz de nós pessoas de bem, e temos orgulho de sermos assim.


Tivemos uma decepção tamanha esse ano em relação a isso, pois fomos enganados duas vezes seguidas por pessoas diferentes possuidoras de uma má-índole digna de personagens antagônicos de novela mexicana, de baixíssimo nível moral, apenas e tão somente por terem percebido que éramos presa fácil para suas garras, seus golpes.


Isso me abalou profundamente, não nego, minha crença nas pessoas diminui?sim, diminui, tenho orgulho disso?não, pois os outros membros da família não tiveram sua fé no ser humano abalada nem 1 milímetro.Isso sim, eu me orgulho.


As situações que nos vimos enseridos de vez em quando, nem sempre boas, nos faz refletir sobre os porquês da vida...porquê nós?porquê não os vizinhos?porquê fomos tão ingênuos?enfim, essas e outras indagações nos acompanha, porém quando a cólera passa e colocamos os neurônios nos seus devidos lugares o que vem é a consciência e a paz de espírito por ter estado no pólo passivo da situação e não no pólo ativo, ou seja, antes termos sido enganados que termos enganado alguém.Esse pensamento é fruto da consciência moral e da educação pautada na verdade e na honestidade que sempre foi a mola propulsora de nossa família.É triste ter passado, aliás estar passando por certas situações?é, não dá pra disfarçar, desestrutura toda a família...dá uma sensação de que o barco tá furado...que estamos num pesadelo...mas vai passar, e no final estaremos com a nossa crença na honestidade muito mais madura e forte do que antes.E como estarão os nossos algozes?só Deus saberá...


Será prova ou expiação?Não dá pra saber, mas com o pouco de conhecimento que possuímos da doutrina espírita sabemos que estamos sendo ajudados constantemente pela espiritualidade superior e que as pessoas que acreditam estar sendo beneficiadas pela boa-fé alheia certamente terão uma bela surpresa quando voltarem à verdadeira morada.


Na verdade esse post de hoje foi só um desabafo e um alerta, para que não fiquemos iludidos à ponto de pensarmos que os nossos vizinhos de planeta são tão bonzinhos quanto nós.


= /

sexta-feira, 11 de julho de 2008

sensível



Tem dias que a gente acorda meio assim...sensível...hoje é um desses dias pra mim.Não fosse a avalanche de problemas que venho passando, diria que a vontade de chorar seria por nada.Não é bem assim, mas a reunião de tudo dá nisso.
A sensibilidade não é de todo ruim, na verdade tudo tem seu lado bom, até ela.É ela que nos faz perceber o que passa na frente dos nossos olhos todos os dias e não damos o devido valor.É ela que nos faz mais carentes e assim menos durões, mais doces, ou seja, mais humanos.A possibilidade de pedir colo cresce.
Será que esses dias são privilégio do sexo feminino?se for, taí mais uma coisa que os homens deixaram de passar na fila pra pegar.Estou brincando...a capacidade de se tornar mais doce, mais molenga, mais chorão, é de todos.Conheço muitos homens sensíveis assim, só que a mulher não se tranca tanto, ela se dá o direito de ter um dia inteiro cultuando a solidão - como disse uma amiga - com direito a ficar de camisola o dia inteiro, vendo filme romântico e chorando sem parar kkkk, até cansar.Eu já fiz isso, e o filme escolhido foi "Um amor pra recordar", já sei, exagerei né, pois é...mas quando o filme terminou e as lágrimas saíram parecendo uma torneira com defeito, me senti melhor, respirei fundo, e pronto, já foi, já era.

A vida é tão cheia de supresas que tem horas que esquecemos disso, algumas delas aparecem feito um tsunami, empurrando tudo o que vê pela frente.Quando pensamos que está tudo nos eixos e temos o controle nas mãos, eis que surge uma novidade =/.São as provações que temos que passar.Nada é por acaso, nada meeesmo.Se um dia estamos meio down, vendo tudo cinza, não nos preocupemos, pois é só uma fase, ruim é claro, mas fases são fases.Passageiras.A mutação é constante.Porque tudo tinha que ser perfeito para que fôssemeos felizes?se assim o fosse será que não estaríamos entediados com tanto sucesso?como exemplo temos o alto índice de suicídio nos países desenvolvidos.O que devemos fazer é agradecer a Deus tudo de bom que temos na vida, as coisas boas e ruins, afinal, a escuridão não existe, é apenas a ausência de luz.Momentânea.

=/

*foto by JLuis - lindaaaa

segunda-feira, 30 de junho de 2008

E dá-lhe bafômetro!

Dia 20 de junho entrou em vigor a "Lei Seca", que proíbe a ingestão de qualquer quantidade de bebida alcóolica por motoristas.Quem for pego dirigindo depois de beber será sujeito à multa de R$955,00 e suspensão da Carteira de Habilitação por 12 meses, além da prisão.
Antes era permitido a ingestão de até 06 dicigramas de álcool por litro de sangue, o equivalente a 2 copos de cerveja.
Mas 10 dias depois da entrada em vigor da lei as pessoas ainda não se deram conta da sua eficácia, talvez ainda leve um tempo para isto, haja vista lei nesse país ser tratada sempre como algo que fica em segundo plano.Foram presas quase 300 pessoas até hoje, destas tinha gente que nem sequer conseguia enchergar o bafômetro.
Bom, por falar em bafômetro, eis um problema para que o objetivo almejado seja alcançado, existem apenas 500 desses aparelhos em todo o Brasil.Meu Deus, quanto excesso de absurdo, um país tão grande, com tantas riquezas, um dos campeões em arrecadação de impostos, ter apenas esse número de aparelhos.Para que a fiscalização seja feita com eficácia é necessário 1 para cada 2 mil habitantes.
O engraçado é a ver as pessoas que bebem manifestando suas opniões contra a lei, alegando que cada um é adulto e responsável por suas vidas, porém esquecem que quem bebe está colocando não apenas suas vidas em risco, mas também a de seus passageiros e a população, que não escolheu estar no mesmo veículo que um bebum.
Ah se fosse tão simples assim, cada um cuidar de sua própria vida e pronto, resolvida a questão, nenhum acidente aconteceria, nenhuma morte seria anunciada, nenhuma lei seria necessária por consequênciada das estatísticas de dor de familiares e amigos pela perda de um ente.
Não chegou-se a esta altura dos acontecimentos à toa.Pessoas morrem todos os dias por conta das irresponsabilidade de outras que sempre acham que mais uma latinha de cerveja não vai alterar suas percepções visuais, nem tampouco provocar acidentes, bem como mortes prematuras de pessoas com uma vida inteira para viver.
É isto.Ser humano é incapaz de raciocinar coletivamente, o individualismo é inerente a sua condição nesse planeta.A imaturidade espiritual é gritante e urge por medidas efetivas como esta.
Espero que surta efeito, ou seja, que as pessoas parem se matar umas às outras.
=]
fonte: G1

sexta-feira, 27 de junho de 2008

O MELHOR AMIGO DA NOIVA

Essa semana fui assistir um filme no cinema coma minha amiga Andréa Lane.Íamos ver o tão falado e comentado Sex in the City, mas não tinha mais ingressos para o horário que queríamos, então escolhemos um outro que eu também estava afim de ver, o Melhor Amigo da Noiva, e eu simplesmente amei.Nossa fazia tanto tempo que tentava assistir um filme que me prendesse do início ao fim e que me fizesse rir muito e até me emocionar, já deu pra perceber que sou adepta do estilo comédia romântica né!pois é, sou mesmo, acho que a vida já é tão cheia de atribulações e estress para sair de casa e passar 2h vendo mais do mesmo que temos na real.O filme em si fala de amor, owww novidaaaade kkk, mas também de amizade, um casal que se tornou amigo ainda na Faculdade e que nutriam um amor um pelo outro às escondidas.Ela por achar que ele não gostava dela como mulher e ele por gostar de viver a vida de um "pegador", disse que se ficasse com ela iria ter que tirá-la da vida dele, pois uma de suas regras de cafajeste era não encontrar a mesma mulher no dia seguinte.Ele a amava tanto que preferia preservar a amizade verdadeira, daquelas em que os dois podem sair o dia inteiro e se divertirem apenas por estarem na companhia um do outro.Acho o tema capicioso porque no fundo quem nunca teve alguém assim na sua vida?ninguém?pois eu já tive, é estranho mesmo viu, nos tornarmos amigos de quem queríamos que fosse mais que isso, mas ter que continuar fazendo as mesmas coisas que se faz enquanto rola apenas amizade...estranho...todavia porque então que dá uma vontade danada de beijar na boca, de abraçar e de andar de mãos dadas?resposta difícil, ou não.Pode ser simplesmente porque queremos que o nosso amor goste das mesmas coisas que nós, que se divirta junto com a gente, porque com os amigos podemos nos abrir tanto sem medo de magoar o outro e sem medo de ter que prestar atenção se não está falando ou fazendo algo de errado.Com o namorado temos que ter um tipo de postura, mais séria digamos assim, com o amigo não, podemos ser mais soltas, mais livres.Que bom seria se em uma pessoa reuníssemos as qualidades dos dois.Os defeitos poderiam ser descartados numa boa kkkkk, ah aí eu tô pedindo demais não é!?

Bem, o bom é que o final foi feliz :) ai que lindo...teve a frase tão esperada por ela e tão insistentemente evitada por ele: I love you.Ele nunca havia dito isso para uma pessoa, apenas para cachorros.Todo cachorro que ele via na rua o fazia se abaixar e dizer I love you.Devia ser pela sua inconsciente vontade de dizer para alguém.O pior é que existem pessoas assim, que preferem demostrar seu amor para um animal do que para um ser humano.Na minha opinião são pessoas extremamente inseguras, pois não conseguem nem correr o risco de dizerem o que sentem, para serem sinceros com o ser amado e principalmente consigo mesmo.Isso eu falo quando o sentimento existe viu.Também não adianta nada cuspir I love yous por aí sem sinceridade, aí já passa para outro tipo de conversa, de papo, passa a ser uma banalização da frase mais linda, mais desejada e mais despível(essa palavra existe?) de todas.No sentido de ser capaz de despir-nos completamente, tira-se todas as máscaras, todas as roupas, todos os personagens, e só fica o eu.Puro.Nu.Foi assim que aconteceu com o personagem canastrão do filme, ele se desfez de seu personagem e o que ficou foi o cara que ela gostava e que no fundo ele também sempre quis ser.
=)

segunda-feira, 23 de junho de 2008

tirando os pés do chão



"E relacionamento é conflito.
É atrito.
É descanso e sossego.
É calmaria no meio do furacão".
Carol Bernardo


Essa é apenas a última estrofe do poema de uma pessoa muito linda, por dentro e por fora, que sabe expressar exatamente o que todo mundo sente, mas que guarda sem querer, mas guarda.
Lindo.
Passei por momentos complicados esse mês.De conflitos.De dúvidas.Até as certezas parecem incertas quando se tira os pés do chão, ou será quando os colocamos?Acho que é isso.Quando nos relacionamos com alguém durante o tempo de calmaria é como se flutuássemos, a felicidade nos faz dormir sobre as nuvens, tão bom.Aí quando vem a tempestade, descemos delas, voltamos ao mundo real, ao mundo do ciúme, da posse, do medo, da insegurança, do quase.Pois QUASE perdemos o outro, QUASE perdemos a metade de nossa felicidade, QUASE nos perdemos de nós mesmos.
Ufa!
o QUASE já era!
Com certeza amadureci com tudo isso.Refleti muito sobre os paradigmas que insistia em continuar carregando.Me dei mais uma chance de acertar.Depois de tantos erros pueris, é assim que se evolui.Vivendo.
*foto by JLuis

=]

Felizes de Plantão


Este foi um mês de muitos acontecimentos, de criação de expectativas e desfazimento delas.Adoro o mês de junho, por ser o mês das festas juninas, das comidas gostosas, mungunzá, canjica, bolo de milho, forró, acho tudo muito mais alegre e animado.Mas também gosto por ser o mês em que as pessoas descompromissadas resolvem gritar ao mundo sua condição, parece que a vergonha de não ser de alguém passa a ser substituída pela esperança de ter alguém para chamar de seu, como na propaganda do fiat.Mulheres ficam todas serelepes fazendo mil e umas simpatias para os santos do mês, o Antônio, o João e o Pedro.Durante o mês 6 eles devem ter muito mais o que fazer kkkk, pois além de suas obrigações normais ainda têm de se preocupar em dar um sorriso e um acalento ao coração dos que pedem um amor.Esse pedido não vem apenas das mulheres não, viu!se engana quem pensa assim.Muitos homens também estão na mesma condição.Porque será que hoje em dia parece ser tão difícil encontrar um outro par de sapatos, de meias, a tampa da panela...será que antigamente também era assim?Não sei.Só sei que para começo de conversa, se os solteiros do momento realmente querem namorar devem decidir isso de verdade, não ficar disfarçando pra si mesmos, se enganando que estão felizes como estão só para não ficarem no grupo dos sozinhos, antes o dos solteiros.Pois pra mim há diferença.Os primeiros são tristes nessa condição, não se vê o brilho nos olhos de quem está enamorado, sinal de quem não beijam frequentemente, nota-se claramente que não gostam e nem querem continuar nessa ala.Já os segundos não, parecem ser os reis das baladas.Sempre de antena ligada no próximo evento, se sentem felizes por estarem solteiros, pois há quem diga: "solteiro sim, sozinho nunca", ou seja, beijam na boca frequentemente.De posse desse primeiro passo, o segundo é abrir seu coração e não se achar sabichão demais e pensar que sabe muito bem que tipo de pessoa é melhor para você.Assim a pessoa fica ultraseletiva e isso quase sempre é sinal de PRE-conceito, ou seja,nem dá chance pra pessoa se fazer conhecer para se surpreender.E se fosse uma pessoa bacana, e se fosse o amor da sua vida.Como iria saber.Seria como na piada que diz que um homem estava se afogando, apareceu um bote, um barco, um avião e o homem não aceitava nada porque dizia pra todos que Deus iria salvá-lo.Ele morreu e chegando lá, perguntou pra Deus porque não o salvou, Deus falou que mandou tudo que foi de ajuda para salvá-lo e ele não aceitou.Deixa a vida mostrar o caminho a ser percorrido, já pensou em quantas vezes já nos deparamos com desilusões imensas vindas de pessoas que jamais esparávamos, que PRE-conceituamos mui positivamente...às vezes aquele que parece ser totalmente fora de cogitação é o que nos trará boas surpresas, como é bom nos surpreendermos e nos decepcionarmos com nossos PRE-conceitos, mas no bom sentido, evidentemente.Isso aconteceu comigo e tô super-feliz.Pensando assim, logo logo os que estão "à procura" mudarão de grupo, entrarão para o dos "Felizes de Plantão".
=)
*arte de Dine

quinta-feira, 5 de junho de 2008

Surpresa esperada

Votei a fazer terapia.
Detalhe: dessa vez com um homem.
Outro detalhe: mais velho que eu.
Último detalhe: tão antipático que dá até vontade de rir (pra não chorar).
A primeira impressão foi um pouco constrangedora.O psicólogo não era muito de papo.Pareceu-me impaciente.Como é que uma pessoa escolhe uma profissão a qual precisa essencialmente de um atributo que não possui?não entendo.Só sei que eu tive que usar a pouca paciência que tento ter, pois a sessão foi de GRAÇA.Foi marcada uma próxima, mas só irei porque é de GRAÇA, porque só de GRAÇA alguém volta a sentar numa poltrona de frente para um estranho que faz questão de continuar sendo estranho para você.Por mais que o que vá escutar pelos próximos 50 minutos seja o mais íntimo do interlocutor estranho.A vida é assim, nos põe em cada uma...quem será que descobriu que falar de seus medos - de suas neuras, de seus sentimentos mais obscuros, aqueles que estão lá dentro, num canto tão escondido que nem você mesmo sabia que existia - por horas com alguém desconhecido faz bem?!E não é que faz mesmo.Por mais esquisito que aquela pessoa possa ter me parecido, ele me falou umas frases de efeito que me fizeram sorrir por dentro e por fora.Durante o monólogo, esbocei uns sorrisinhos amarelos em sua direção, que não foram correspondidos, que fique bem claro, haja vista seria muito simpático da parte do estranho, no que ocasionaria uma atitude totalmente contrária à sua vontade, que era de permanecer estranho para mim.Ele também soltou uns sorrisinhos sem graça para a minha pessoa, mas certamente foram para indicar as palavras que viriam em seguida, de perguntas irônicas, daquelas que já está se dizendo a resposta.Conversa mais esquisita! diria um E.T que não soubesse desse costume dos humanos kkkkk
Fiz um grande favor para ele, dando a oportunidade de fazer uma bondade, uma caridade...Sabe como eu descobri de cara que ele não tinha paciência, quando estava construindo um pensamento e ele me interrompeu querendo que eu fosse mais objetiva, mas se a função dele é justamente essa, de ficar paradão esperando que eu mesma descubra sozinha a raiz de meus problemas, para quando ele entender o que eu tentei falar fosse confirmado no momento em que ele perguntasse, mas com convicção e surpresa.Sim, a surpresa para ser o ator principal de sessão de terapia, pelo menos das minhas, sempre saio de uma sala daquelas diferente de quando entrei.Me reconheço.Me descubro.Me entendo mais e me aceito mais.Então, eu saí de lá sorrindo, mas por dentro me sentia leve, alegre, radiante, e não estava nem aí se aquele aprendiz de Hitler era ou não mais neurótico que eu.
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

=)

quinta-feira, 15 de maio de 2008

p a s s o u

Passei por dias angustiantes.
Nada tão dramático, mas tudo o que diz respeito a nós se torna dramático, é incrível como conseguimos tornar diminutivos em aumentativo superlativos, isto é, valorizar demais situações e sentimentos que não mereciam tudo isso, quando tudo passa, parece que foi nada.
Uma avalanche de pensamentos e dúvidas permeiaram meu ser.
De repente senti-me forte e decidida demais.
Argumentei comigo mesma.
Justifiquei escolhas só pro reflexo do espelho.
Ajuntei causos e mais causos afim de conseguir mais eleitorado para minhas atitudes.
No fim, nem soube mais o que de fato desencadeou a montanha-russa dentro de mim.
Então não encherguei mais o que pouco antes era claro como a neve.
Sabe o que isso tudo quer dizer?
Que nada é tão grave quanto tentamos fazer com que pareça, diante de momentos de felicidade que certamente valeram à pena.
Nada é o que parece.
Que a certeza que outrora sentia era gasosa.Inexistente.
O que existe mesmo é um desejo imenso de não sentir mais aquilo e de ser fiel à mim.
As provações estão aí a todo momento, prontas para desfazer o bom que levou tanto tempo para ser construído.
Espero que eu tenha realmente aprendido com tanta raiva transformada em lágrimas e que por pouco não se transformaram em algo muito pior : rancor.
Namastê!
=)

segunda-feira, 12 de maio de 2008

Tia, obrigada por tudo!


Ontem foi Dia das Mães, queria ter postado, mas a net não colaborou.
Estava refletindo sobre essa missão que é a maternidade. Existem pessoas que nunca souberam o que é ser amado por uma mãe, por não ter tido a sorte de ter uma ou mesmo tendo não existir entre ambos a cumplicidade, a dedicação e o amor mútuo.Não sei o que é mais triste: se não ter mãe ou ter uma do lado morando sobre o mesmo teto e ainda assim sentir-se órfão.Acho que é isso que meus irmãos sentem com minha mãe biológica.

Ah não contei, mas eu tive 3 mães nessa vida, minha sorte começou aí, nos primeiros meses de vida.Minha mãe biológica, que me carregou durante 9 meses na barriga não tinha maturidade suficiente para ser mãe, não pela idade, mas maturidade espiritual mesmo, e olha que ela teve 6 filhos.Os dois primeiros filhos foram meninas, que ela nunca teve a oportunidade de criar, eu fui a 2º, minha avó paterna ( única que chamei de mãe nessa vida) ganhou minha guarda quando eu tinha 1 aninho, ow!Mas embora ela tivesse muito amor por mim, a vida dura de sofrimento fizeram dela uma pessoa "nervosa", se fosse hoje ela seria estressada mesmo, não tinha condições emocionais de criar uma menina tão problemática como eu ERA ( será que eu ainda sou?), apanhava demais, nooosssa!tanto que a lembrança que tenho dela é sempre correndo atrás de mim pra me bater.Mas sempre tinha um anjo que me pegava no colo e me acalmava e protegia.Essa era a minha tia.A Rita.Minha mãe em todos os sentidos.Temos plena convicção de que somos mãe e filha.Com tudo o que essa relação pode trazer de bom e de ruim.Nunca vi duas pessoas se amarem tanto e ainda assim brigarem tanto.Eu a admiro demais em muitos aspectos, principalmente o da garra e o da força pra lutar pelo que ela acredita.A sede de justiça é algo que a faz se parecer com algum personagem utópico de novela, pois no quotidiano é difícil encontrarmos pessoas assim.Mas claro que ela possui defeitos, a teimosia é um deles.Quando coloca alguma coisa na cabeça, pronto! é aquilo.É um horror!Eu sou muito crítica, um dos meus pontos fortes, ela é muito mão aberta, gastadeira mesmo.Eu sou a chamada unha-de-vaca, mas eu prefiro ser chamada de controlada financeiramente.Segundo ela, tenho o gosto refinado por tudo que é bom, ela é quase uma franciscana de tão simples e ah! ela não tem paladar, viu, tudo que é comida pra ela tá maravilhoso, mesmo que se trate de um feijão estragado.Por aí já dá pra perceber que perdemos horas discutindo bobagem.
Agora soube que a minha tia-mãe vai me adotar legalmente.Meu nome vai mudar.Vou ser a filha que ela sempre teve e sempre soube.Mas descobriu isso um dia desses, com o conhecimento da Doutrina Espírita.Sou mimada até hoje como se tivesse 10 anos de idade e não 3x mais.Adoro a presença dela na minha vida, sinto-me abençoada por tê-la ao meu lado sempre.Obrigada Deus por ter me dado 3 mães e a verdadeira ter me aceitado como filha mesmo sem ser.Uma vez ouvi um comentário na novela Laços de Família, a Marieta Severo transmitia a idéia do autor Manoel Carlos dizendo que ser tia é ser mãe duas vezes, pois é mãe por escolha e não por destino.É mais ou menos assim, tirando a palavra destino.
Eu não sei se serei mãe nessa vida.Acho bonito, mas não me vejo sendo uma.Quem sabe é Deus, mas sinto-me cada vez mais distante dessa realidade.


Feliz Dia das Mamis!

=)

sexta-feira, 9 de maio de 2008

4 you




"você é a escada da minha subida


você é o amor da minha vida


é o meu abrir de olhos no amanhecer


verdade que me leva a viver"


cogumelo platão

segunda-feira, 5 de maio de 2008

3 MESES êêêê

Hoje o meu post está apaixonado, pois é um dia especial. Aliás todos os dias têm sido especiais desde que conheci o Diel. Parece estranho eu dizer isso depois do post que está abaixo deste. Mas o que seriam os dias maravilhosos de reconciliação se não existissem as briguinhas, não é?
O Edyhelver ( é esse o nome todo dele ) foi um presente que ganhei no carnaval, a gente sempre brinca que ganhamos na loteria e é mesmo, viu!E que prêmio! Eu espero que consigamos ser fiéis ao que estamos sentindo um pelo outro e não deixemos que a infeliz inquietação da paz vença a nossa imensa vontade de permenecer nesse estado pleno de felicidade.
"Amar, porque nada melhor para a saúde que um amor correspondido."
Vinícius de Moraes
É a primeira vez que estamos comemorando mesmo o nosso aniversário de namoro, mês passado foi bom, ele me levou p cover do Los Hermanos, foi mara!Mas não foi aquela coooisa...por que no fundo eu ainda tinha um pouco de medo disso, afinal, de uma hora para outra as coisas podem mudar.
Todavia, a brevidade dos momentos felizes clama por comemorações, pois que fazendo isso estamos prolongando aquele e construindo outro momento feliz.Que bacana isso que eu escrevi agora, nunca tinha pensado nisso kkkk, é por isso que gosto de escrever e de conversar com psicólogo: sempre enriqueço mais com estas duas práticas.
Bem, o meu recadinho de hj já foi dado, e ah tenho outro: beijem muito na boca, que faz um beem danado p'ro coração e para os outros órgãos do corpo também kkkk
Beijinhos
=)

quinta-feira, 1 de maio de 2008

TROPEÇA A CADA QUARTEIRÃO

-Oi amor tudo bem?hoje não vai dar pra gente se ver, mas amanhã vamos para o cinema, tá certo?

Oi!
não
vou
mais
para
o
cinema
amanhã.


- porquê?já tá com besteira de novo?!

não
é
nada
com
você,
é
coisa
minha.


-tu...tu...tu...(a ligação cai)

-tá certo...

-tu...tu...tu...(a ligação caiu de novo)

Assim começa e termina um diálogo entre duas pessoas que se gostam e que na noite anterior estavam superbem.Mas a questão é : por que de repente as coisas mudam tanto a ponto de um não saber o que se passa na cabeça do outro?de um não saber o que dizer pra não piorar a situação?e pior : por que é tão difícil reverter isso tudo?bastava um simples "vamos conversar com calma " de um dos dois p'ra dar chance p'ra harmonia voltar.

Muito complicado se colocar no lugar do outro?

Muito difícil pedir desculpas?
Muito...
Muitíssimo...


Mas e agora?

Por que que a primeira coisa que se pensa nessas horas é em desfazer essa bagunça que virou o relacionamento de uma forma radical?terminando tudo.

Por que no momento ninguém tem coragem de admitir que errou, que pisou na bola, por que a culpa é sempre do outro, por mais que se saiba que foi 50% de um e 50% do outro, mas a sua parcela de responsabilidade nessa hora vira nada.O outro é que tem que ligar primeiro."De jeito nenhum que eu vou dar o braço a torcer."

Quanta infantilidade!
Mas é isso, somos pueris.
É natural, infelizmente.


Mas parece uma coisa, quando tudo está indo bem, lá vem uma tempestade pra nos lembrar que nem sempre o dia vai amanhecer com aquele sorrisão de "Bom Dia" vindo do astro-rei.E é exatamente nessas horas, em que o céu escurece, que é o momento de declarar o que realmente se sente, o que fica lá dentro do coração, que espera-se uma atitude madura tanto da sua parte quanto da do outro.De ser compreensivo.Esta é a palavra chave:compreensão.É muito fácil gostar de alguém quando está tudo azul, mas e quando o alerta pisca apontando que o outro precisa de você não pra beijar na boca ou abraçar, quando o outro tá precisando de outra parte do seu corpo, talvez o ombro, quem sabe o colo, a mão, talvez a alma.


O relacionamento a dois não é fácil, principalmente quando um precisa demais do outro pra consolar, enquanto o outro precisa pra rir junto, pra brincar junto, pra fazer bobagem junto.A vida não é feita APENAS de momentos felizes.Ninguém é 24h por dia feliz.Seria até chato se assim o fosse.Não estou fazendo nenhum tipo de apologia à tristeza e à depressão, longe de mim esses dois sentimentos, mas eles aparecem quer queiramos ou não.Isso também é natural.Os dias de chuva também servem para que consigamos dar viva ao sol, quando este voltar a aparecer.

=/
"E SE EU FOSSE O PRIMEIRO A VOLTAR PRA MUDAR O QUE EU FIZ, QUEM ENTÃO AGORA EU SERIA"
rodrigo amarante

*foto by JLuis (liinda!)