segunda-feira, 23 de junho de 2008

Felizes de Plantão


Este foi um mês de muitos acontecimentos, de criação de expectativas e desfazimento delas.Adoro o mês de junho, por ser o mês das festas juninas, das comidas gostosas, mungunzá, canjica, bolo de milho, forró, acho tudo muito mais alegre e animado.Mas também gosto por ser o mês em que as pessoas descompromissadas resolvem gritar ao mundo sua condição, parece que a vergonha de não ser de alguém passa a ser substituída pela esperança de ter alguém para chamar de seu, como na propaganda do fiat.Mulheres ficam todas serelepes fazendo mil e umas simpatias para os santos do mês, o Antônio, o João e o Pedro.Durante o mês 6 eles devem ter muito mais o que fazer kkkk, pois além de suas obrigações normais ainda têm de se preocupar em dar um sorriso e um acalento ao coração dos que pedem um amor.Esse pedido não vem apenas das mulheres não, viu!se engana quem pensa assim.Muitos homens também estão na mesma condição.Porque será que hoje em dia parece ser tão difícil encontrar um outro par de sapatos, de meias, a tampa da panela...será que antigamente também era assim?Não sei.Só sei que para começo de conversa, se os solteiros do momento realmente querem namorar devem decidir isso de verdade, não ficar disfarçando pra si mesmos, se enganando que estão felizes como estão só para não ficarem no grupo dos sozinhos, antes o dos solteiros.Pois pra mim há diferença.Os primeiros são tristes nessa condição, não se vê o brilho nos olhos de quem está enamorado, sinal de quem não beijam frequentemente, nota-se claramente que não gostam e nem querem continuar nessa ala.Já os segundos não, parecem ser os reis das baladas.Sempre de antena ligada no próximo evento, se sentem felizes por estarem solteiros, pois há quem diga: "solteiro sim, sozinho nunca", ou seja, beijam na boca frequentemente.De posse desse primeiro passo, o segundo é abrir seu coração e não se achar sabichão demais e pensar que sabe muito bem que tipo de pessoa é melhor para você.Assim a pessoa fica ultraseletiva e isso quase sempre é sinal de PRE-conceito, ou seja,nem dá chance pra pessoa se fazer conhecer para se surpreender.E se fosse uma pessoa bacana, e se fosse o amor da sua vida.Como iria saber.Seria como na piada que diz que um homem estava se afogando, apareceu um bote, um barco, um avião e o homem não aceitava nada porque dizia pra todos que Deus iria salvá-lo.Ele morreu e chegando lá, perguntou pra Deus porque não o salvou, Deus falou que mandou tudo que foi de ajuda para salvá-lo e ele não aceitou.Deixa a vida mostrar o caminho a ser percorrido, já pensou em quantas vezes já nos deparamos com desilusões imensas vindas de pessoas que jamais esparávamos, que PRE-conceituamos mui positivamente...às vezes aquele que parece ser totalmente fora de cogitação é o que nos trará boas surpresas, como é bom nos surpreendermos e nos decepcionarmos com nossos PRE-conceitos, mas no bom sentido, evidentemente.Isso aconteceu comigo e tô super-feliz.Pensando assim, logo logo os que estão "à procura" mudarão de grupo, entrarão para o dos "Felizes de Plantão".
=)
*arte de Dine

Um comentário:

Déo "Neguinho Atento" disse...

Eu já fiz parte do grupo dos "solteiros sim, sozinhos nunca", mas confesso que tem hora que faz falta sim uma pessoa maneira com a qual vc possa contar. Há quem goste de ficar descompromissado e só zuando... mas pelo menos comigo foi uma fase passageira...