segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

voltei!

Gente!
Que saudade desse meu cantinho, quantos desabafos, quantos sentimentos descobertos aqui nesse espaço. Esse semestre foi tão corrido e ao mesmo tempo tão gostoso por "n" motivos: 1º acho que vivi intensamente o último semestre da facul, depois de 7 anos (ufa!) havia pensado que não conseguiria, mas... coma ajuda de Deus que colocou na minha vida uma tia tão linda e amorosa, consegui!, apresentei minha monografia quinta passada e para surpresa e felicidade minha, deu tudo certíssimo, meu deram 10, porque não dava pra dar 11, owww coisa boa de se escutar...
2º porque eu sinto que amadureci, e como acredito piamente que nada é por acaso, deve ter sido por isso (também) que demorei tanto pra terminar esse curso, pra poder acompanhar o meu crescimento e desenvolvimento da personalidade.
Postarei as fotos aqui para deixar registrado esse moemnto tão lindo e que eu temia tanto, que bobagem! hoje queria repetir a dose, mas é isso que vou lutar daqui em diante, fui aconselhada a transformar minha mono em projeto de mestrado e vou tentar fazer isso simmmm!
Beijos pra quem apareceu por aqui de vez em quando e não via nada de novo, mas agora voltarei a postar com frequência, palavra de Paty =)

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Peróxidos de lucidez


Hoje amanheci com um desejo enorme de realizar. O que é que eu não sei, ou sei e faço de conta que não sei. É mais fácil viver achando que não se tem sonhos, porque não transformá-los em realidade dói. Mas o que é um ser humano sem sonhos?. Esses dias ando tão desesperançada da vida. Como se não houvesse amanhã. E ao mesmo tempo sabendo que o amanhã virá, mas com algo totalmente desconhecido.

Queria viajar. Conhecer o mundo, pessoas novas, mudar de vida. Será que é bom viver outra vida que não seja a sua por um tempo? eu acredito que sim, que quando se volta pra vida original volta-se outro, renovado, feliz por retomar a sua vida do ponto em que a deixou.

É muito ruim não se ter sonhos. Prefiro dias intermináveis de ilusão, recheadas de esperança a que ter meus pés fincados no chão e a cabeça enterrada em cima da cabeça com a certeza de tudo o que é. O alienados são mais felizes, eu digo isso sempre.

Preciso voltar a ter sonhos. Porquê? porque eu preciso deles pra acordar e fazer alguma coisa por mim e por quem amo. Estou melancólica. Profunda. Devo estar assim porque essa semana estou lendo Felicidade Clandestina, um livro de crônicas de Clarice Lispector, do tempo em que ela escrevia para o Jornal do Brasil. Algumas ótimas, daquelas que se lê bem devagarinho para que o deleite da leitura seja pleno. A minhas manhãs de julho tem sido de plena leitura, coisa boa né. Ter livros novinhos esperando por mim para devorá-los. E eu ainda acho que tô com tédio.

Ontem alguém distante, do nada, tentou me dar uma enjeção de ânimo para estudar pra concurso. Engraçado...porque? é tão óbvio que necessito de injeção?

Para tentar preencher um vazio que tá aqui dentro - que segundo Clarice Lispector, é um vazio de que a alma está morrendo de sede (de vida), fui atrás de receitas para fazer bolo de chocolate. Anotei minuciosamente os ingredientes, fui correndo ao supermercado para comprar o que não tinha em casa e hoje estou aqui, morta de vontade e de preguiça de fazer o tal bolo molhado. Mas no fundo com medo de depois de fazê-lo sentir mais vazio ainda por não ter o que fazer depois.Terei eu que viver atrás de receitinhas para ser feliz? Sim, terá - responde alguém que ouve meus pensamentos. Meu anjo gaurdião, na certa. Tadinho, deve ficar estupefado com meus pensamentos bobos. Como eu mesma fico.

Tô em crise de novo no meu relacionamento afetivo. Conversando - e confessando - com uma amiga descobri o óbvio ululante, que a mulher é altamente exigente e fala demais e que é mais sensato ter o parceiro (detesto esta expressão), ter o companheiro (pra mim esta soa como união estável), ter o namorado, marido ou seja lá o que o cara representa pra você como o que ele representa para você e pronto. Porque a gente tem a mania doida de querer que a pessoa seja tudo:amigo, companheiro, irmão, intelectual, seja até mãe às vezes. Sendo que ser namorado para eles já é ser muito. Então devemos aquietar nossos coraçõezinhos e colocar nas nossas inteligentíssimas cabecinhas que quando quisermos conversar sobre, por exemplo, o que significa "óbvio ululante"* devemos procurar amigos que certamente adorarão confabular sobre, do que torturarmos o tadinho e a nós mesmos - pois quando precebemos que só a gente está no assunto, e o outro prefere ver jogo de futebol de 3° divisão a prestar atenção no que estamos filosofando dá uma frustração terrível, que acaba de certo, em brigas solitárias, porque ele não vai deixar de ver o jogo para brigar.

Enfim, devemos exigir apenas e tão somente que o amado seja amante, e ponto final. É namorado? então me ame muito, me encha de beijinhos, de cubra de carinhos, me deixe mais apaixonada a cada dia. Esta é a sua função. Preciso de amigo? ligo pro Josinho kkkkkkkkkkk, preciso contar o que senti quando li o último livro de Clarice, me encontro com outra pessoa, enfim, acho que o que minha amiga quis dizer é que ser exigente demais só afasta a felicidade da gente, e eu bem sei disso. Há 1 década venho lutando contra essa minha característica virginiana, mas eu não tenho culpa de ter nascido em setembro kkkkkkkkk.



*óbvio ululante: é uma verdade que está mais do que na cara, que grita, evidente, óbvia...
*Ululante: Palavra criada por Nelson Rodrigues, pernambucano radicado no Rio de Janeiro. Por volta de 1950, Nelson Rodrigues, teatrólogo, radialista e comentarista esportivo, criou a expressão: ´obvio ululante´ = coisa tão clara e tão patente que chegar a ulular. O ululo, em latim, ululatus = ´ululado´, particípio passado com o verbo ululare, é o prolongamento do uivo emitido pelos cães, é aquele ganido prolongado feito para ameaçar ou chamar a atenção. Aborrecido e incomodativo, ele não tem como não ser percebido.

fonte:www.dicionário informal.com.br

terça-feira, 14 de julho de 2009

Goodbye Michael




Hoje é a 100ª postagem, desde agosto de 2007, parece pouco diante de quase 2 anos, mas passei um período em stand-by, sem querer falar ou escrever nada. É normal. Resolvi escrever hoje sobre o que me tocou bastante o coração nas últimas 3 semanas, o desencarne de Michael Jackson.

Há 8 dias acontece finalmente o Tributo, como eles mesmos chamaram, o Memorial para o Rei do pop. Foi uma cerimônia linda e triste, bem diferente do que eu pensei que seria. Inicialmente fui contra, pois achava meio mórbido um show com um corpo presente, desencarnado há 12 dias, mas não foi nada disso, na verdade, foi um inédita e linda homenagem, teve palavras bonitas, que a meu ver deveriam ter sido ditas com o MJ ainda vivo, talvez se ele soubesse o quanto era respeitado poderia ter sido menos triste. Houve música, claro, interpretadas por artistas da maior estirpe americana, destes, o que mais me tocou foi a homenagem silenciosa de John Mayer, que entrou e saiu calado, mas tocou a canção Human Nature de forma belíssima. Preta Gil no Twiiter comentou que para ela foi como se ele tivesse dito que só o Rei poderia cantar, ele no mínimo poderia tocar, e tocou realmente. Mas a cantora e atriz Jennifer Hdson também me emocionou ao interpretar a canção will you there, que depois que traduzi a letra entendi a coreografia dos dançarinos e o porque da escolha, é um pedido de socorro, de acolhida, que MJ fez ao escrevê-la.
Muitos artistas como Brook Shilds se emocionaram ao falar da pesosa MJ, mas ao final o que me fez chorar foi o depoimento inesperado e emocionante da filha de MJ, Paris Michael Katherine, disse chorando que o pai foi o melhor pai que uma pesosa pudesse imaginar e que ela só queria ter dito que o amava muito. Com isso o Tributo teriminou, com chave de ouro, não é! Acho que , se MJ assitiu a tudo isso, esse foi o depoimento preferido, sem dúvida.

No dia em que MJ desencarnou, deixando o mundo de olhos grudados na tv e noticiários, soube que meu tio estava doente, meu tio mais velho, o Didi, que ele está com câncer, acho que juntou uma coisa com a outra e me deixou muito triste, arrasada na verdade. A cada documentário, a cada notícia, a cada vez que as músicas eram incansavelmente repetidas me oía mais, parece que tinho ido um ente querido, uma sensação de vazio muito grande. Mas no fundo acho que fiquei assim porque sentia MJ muito triste, muito distante desse mundo, como se esse não fosse o lugar dele, e em virtude disso não se encaixava, o ser humano é dif´cicil realmente, e quem não tem forças para aguentar não suporta, porque a barra é pesada. Eu não consigo ver nele um pedófilo, via um menino num corpo de adulto, um corpo que diga-se de passagem ele não tinha muita aceitação, prova disso foram as plásticas e a mudança de cor da pele, para mim inusitada. Nunca vi uma pessoa ter vitiligo e ficar sem cor de forma homogênea, mas... como muitos dizem, MJ pode tudo, tudo nele é inédito e possível.
Espero que ele esteja bem, que mesmo depois de tantos remédios bombardeando seu corpo físico seja considerada a parte linda e pura dele, e principalmente tanta caridade que ele fez para muitas crianças. Ele amava as crianças do mundo inteiro justamente como ele se reconhecia nelas.

Muita paz MJ.




domingo, 12 de julho de 2009

De volta


Depois de tanto tempo, dois meses mais precisamente, consigo vir ao meu blogzinho que tanto amo postar novamente. De vez em quando isso acontece comigo, dá vontade de dar uma sumida do dia-a-dia ou daquilo que o representa.

Mês passado foi um mês de grandes acontecimentos, primeiro que terminei minhas aulas de direção e pra minha decepção, não passei no teste prático. Por uma besteira superbesta, inacreditáveis pneuzinhos do meu carro deslisaram sobre as listras amarelas quando dobrei à esquerda. Algo de estranho ocorre comigo e agora que vim perceber. Não consigo admitir que estou nervosa em dado momento. Quis tanto estar tranquila que quando chegou o momento e não estava, não admiti, queria porque queria dizer pra mim mesma que estava numa boa, sendo que não era o sentimento real. Engraçado que isso vir de mim, parece mais estranho ainda, posto que não deve existir pessoa nesse planetinha mais pé no chão do que esta que vos fala. Sendo assim, detesto lidar com quem não é e insiste em não dar o braço a torcer a respeito de si mesma. Esse até dia desses foi um dos grandes motivos de discussões com minha tia, pois ela é exatamente assim.



Pois bem, não passei e a ficha só veio cair quando passou umas duas horas. Que saco! Me deu tanta raiva, raiva de mim, que fui boba e que não tive controle emocional, raiva do véi chato que foi o examinador, que não foi nem um pingo paciente comigo, e raiva por ter que esperar quase 1 mês para fazer o reteste, além da raiva maior: PAGAR DE NOVO!






Em meio a isso tudo estava em crise no namoro. A decepção também imperava. Tenho que aprender a ser mais compreensiva e percebo que as provas estão aparecendo. Para surpresa minha, fui bastante compreensiva com meu namorado diante de um problema sério, o qual em priscas eras certamente me faria chutar o balde. Fica a dúvida: será que isso foi mesmo compreensão ou o amor que sinto por ele falou mais alto, ou digo mais, será que tenho medo de que não encontre mais ninguém que me aceite chata como sou caso venha a deixá-lo?Dúvidas...muitas dúvidas.

O que mais me chateou foi que isso estragou o clima maravilhoso que pairava no ar, pois depois de 30 anos de dia dos namorados sozinha, finalmente passei uma noite feliz, uma noite como toda garota bacana como eu merece( modesta...). Ganhei presente triplo, pois além da presença linda do amado, presente igualmente fofo, veio de quebra aquilo que eu sempre pedi e não tinha: palavras escritas, um cartãozinho verde me fez borrar a maquiagem. Foi a vez que borrei que mais amei, cheorei de emoção, porque que mulher é tão boba assim? mas é bom, esses momentos de ser boba é que nos faz mais humanas. Mulher PODE!

A confiança é umas das chaves para que um relacionamento perdure, sem ela algo vai se quebrando, sua ausência traz inúmeras pulguinhas atrás das duas orelhas (????) em forma de interrogações. Tais pulguinhas com o tempo podem ter um efeito mutante e vir a se transformarem em, inicialmente, pequenos monstrinhos, depois supermosntros aterrorizantes com superpoderes, dentre os quais o de fazer desaparecer o tão almejado e cultivado amor.

Resolvi, depois de dias e noites intermináveis de reflexão, dar mais uma chance, não a ele, não à mim, mas ao amor que sentimos um pelo outro. Será que fui boazinha demais e agindo assim, estarei abrindo oportunidades do mesmo problema voltar? Não sei, isso só o tempo dirá.


=) Aloha!

terça-feira, 12 de maio de 2009

change


Antigamente eu era tão radical com tantas coisas. Talvez por imaturidade ou por características minhas mesmo, só sei que hoje não me sinto mais assim. Porque será? Será que o passar dos anos vai nos moldando e nos trnsformando em seres menos afoitos? Será que de repente nos vermos não agindo como outrora nos torna um outro ser? Será que tudo isso é bom? Não sei, não se de muita coisa. O que eu sempre quis, depois de conhecer a doutrina espírita era me tornar uma pessoa zen, tipo assim, que os problemas vem e vão e o equilíbrio lá imperando, admiro muito quem é assim. Mas não tenho certeza se estou ficando assim, ou se estou sendo acomodada. Os sentimentos afetivos que vão se fortalecendo a cada dia parecem ter mais força que os outros que já existiam. A razão parece enfraquecer. É isso que temo. A emoção tem que ser mais forte? tem que mandar sempre? Não, disso eu acho que tenho certeza que não. O ideal é que elas caminhem juntas. Porém na vida real, não é tão simples quanto parece ser. A realidade é cruel. Ela nos exige que sejamos corretos e que tomemos decisões. Existem certas pessoas, importatíssimas em nossas vidas que possuem algumas características que não condizem em absoluto com nossa postura de vida. A recíproca é verdadeira. Devem ser as tais provações, as pessoinhas que aparecem para nos testar, e para servir de degrau para nossa evolução. Tem horas que me vejo em dúvida no que tange ao foco, que tipo de foco eu irei seguir. O da razão que diz que não devo fazer vistas grossas novamente ao mesmo fato. Ou à minha postura espiritualista, de que a paciência é um tipo de caridade, aceitar as pessoas como elas são é um de seus pilares, ajudá-las naquilo em que mais precisam, precipuamente estando do lado delas é outro. E o medo de estar agindo errado? onde os coloco?
=/


terça-feira, 5 de maio de 2009

Carta de amor

Diel, meu amor!
Hoje sendo dia 05 é dia de alegria, de comemoração, nosso amor está completando mais 1 mês de aniversário. Sei que 1 ano e 3 meses é pouco tempo para que duas pessoas se conheçam à fundo, mas o amor que sinto é tão grande e sincero que é dif´cicil deixar que a razão predomine.
Você é o namorado mais doce, mais fofo, mais carinhoso e mais (quase) perfeito que existe. Sou muito feliz em ter você na minha vida. Você me completa, meu coração bate feliz quando você está perto, e quando estamos longe eu continuo feliz porque sei que a distância é apenas física, já que estamos no pensamento um do outro.
Espero que nosso amor cresça, evolua e se fortaleça cada vez mais porque
EU TE AMO D++++++

Paty



=***
"Perguntei a um sábio,

a diferença que havia
entre amor e amizade,
ele me disse essa verdade...
O Amor é mais sensível,
a Amizade mais segura.
O Amor nos dá asas,
a Amizade o chão.
No Amor há mais carinho,
na Amizade compreensão.
O Amor é plantado
e com carinho cultivado,
a Amizade vem faceira,
e com troca de alegria e tristeza,
torna-se uma grande e querida
companheira.
Mas quando o Amor é sincero
ele vem com um grande amigo,
e quando a Amizade é concreta,
ela é cheia de amor e carinho.
Quando se tem um amigo
ou uma grande paixão,
ambos sentimentos coexistem
dentro do seu coração."
=)

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Apoio o Ministro Joaquim Barbosa

Joaquim Barbosa, um Ministro que honra a Corte Suprema!

Ontem ocorreu numa sessão do plenário do STF o que já deveria ter acontecido à muito tempo. Até que enfim um Ministro teve coragem de dizer em público para o pseudo-Presidente do STF Gilmar Mendes aquilo que todo e qualquer brasileiro tem vontade de dizer: que ele está destruindo a credibilidade do Judiciário brasileiro. É a mais pura verdade. Não é à toa que Joaquim Mendes chegou à Ministro, negro, corajoso, deve ter sido necessário se impor em várias situações durante sua vida e agora foi o único que teve coragem de agir de acordo com a sensatez.

O pior é que os outros Ministros não o apoiaram, soltaram uma nota hoje a qual dizia que estavam do lado do Presidente do STF, coisa mais sem sentido. Além de serem omissos, ainda se mostram explicitamente coniventes apenas e tão somente por babação ou por compartilhamento de idéias mesmo, o que é ainda mais ultrajante.
É decepcionante perceber como o ser humano é covarde, falso consigo mesmo. Tudo em nome de poder, de estar do lado onde a corda está mais forte. Obviamente que o argumento do Ministro Joaquim Barbosa foi pautado na mais clara sensatez, mas mesmo que o pseudo-presidentezinho concordasse, jamais em tempo algum iria se retratar, pois é tão orgulhoso que prefere prejudicar um julgamento sério(que eles não estão ali para brincar) do que ser humilde e assumir que errou e erra o tempo todo. Mas tem outra coisa que me intriga, como uma coisa dessas acontece numa gestão de um Presidente da República como o Lula, sério, coeso, sensato, como ele pode admitir um presidente do Supremo Tribunal Federal com tamanha falta de preparo humano, ele pode ter conhecimento técnico mais que qualquer um, mas isso não é o suficiente para que uma pessoa chegue ao mais alto cargo do Judiciário brasileiro, onde está o pressuposto da idoneidade? para quem não sabe, é expresso na Constituição Federal, que é preciso ser probo, ou seja, honesto, idôneo, ou seja reto em todos os aspectos de sua vida, e principalmente Justo.


Fora Gilmar Mendes!


=)

segunda-feira, 20 de abril de 2009

The reader - o leitor


Assisti o filme THE READER - O leitor, em que Kate Winslet ganhou a estatueta de melhor atriz, depois de 6 indicações. Na minha opnião foi um filme muito bom, a história em si prende mesmo a atenção do telespectador. O que mais me chamou a atenção foi na dor que a atriz conseguiu transmitir desde o início da trama, dor ocasionada pelo vazio de não saber ler. Inicialmente pensei que fosse outro o motivo, mas depois fica claro que a maior tristeza dela era não saber ler. Seu relacionamento com um garoto (como ela mesma o chamava) de 15 anos, quando ela tinha 36, parecia frio e sem sentido e que ela só gostava de ouvi-lo ler histórias épicas, românticas, de tudo, ela sentia um prazer enorme em ouvir alguém ler. E essa ausência das letras em sua vida a transformou numa mulher solitária e sem sentimentos a ponto de ir trabalhar como guarda do holocausto, se omitindo num incêndio que matou 300 mulheres. Mas ela, segundo as outras guardas, tinha um ritual diferente na hora de escolher quais iriam para a morte, antes ela as levava para casa, dava-lhes comida e abrigo por uma noite, em troca de leitura. É contraditório uma pessoa se encantar tanto com lindas histórias inventadas por alguém que tinha um coração sensível e ao mesmo tempo não ser capaz de salvar mulheres como ela, que sem motivo eram levadas à morte cruel por nazistas. O juiz no tribunal pergunta isso a ela no julgamento, sua justificativa foi totalmente torpe, ela disse que se as soltasse iria virar um caos, todas iriam correr, tentar fugir...enfim, fazer o que todo ser humano são faria na mesma situação: tentar sobreviver. Inclusive ela mesma, certamente o faria. Foi condenada à prisão perpétua por ter sido incapaz de admitir que não escreveu o relatório do que houve com o próprio punho por não saber ler e escrever. Aquilo lhe doeu tanto que preferiu confessar o que não fez, ao invés de dizer na frente de outras pessoas e até dela mesma que era analfabeta. Tem muito de orgulho nisso, claro, pois nem todo analfabeto age assim, numa situação que necessite ler, eles pedem ajuda - me avise qual o próximo ônibus. No fim da vida, já idosa, volta a ouvir a voz do garoto que lia para ela através de um gravador que ele lhe mandou, garoto que ela marcou por toda a vida; ele nunca deixou de amá-la, e sua mágoa, por ela tê-la deixado sem se despedir, o transformou num adulto triste e sem alegria de viver. Ele passou a mandar fitas com sua voz lendo as mesmas obras que ele lia para ela na adolescência, isso a devolveu a vida, na verdade pode ter até dado pela primeira vez, pois a partir dessas fitas ela teve coragem de pegar livros na biblioteca da prisão e assim, tentar a prender a ler, e conseguiu. Sozinha, com mais de sessenta anos, presa a mais de 20, conseguiu aprender a ler e escrever. Infelizmente logo em seguida ela se decepcionou muito ao perceber, erroneamente, que ela não significava nada para o garoto, que cresceu triste e sozinho, como ela. Preferiu o suicídio.
Deve ser muito triste a ausência das letras na vida. A pessoa deve se sentir perdida, só, deve afetar muito a auto-estima. Infelizmente existem muitos brasileiros que não sabem ler, mas por motivos diferentes. Uns por pura falta de oportunidade, outros por problemas muitas vezes desconhecidos pela maioria, como dislexia, deficiência de atenção, disgrafia, enfim, inúmeros sintomas podem ocasionar o analfabetismo. Engana-se quem pensa que apenas pessoas iletradas desconhecem isso, tenho caso na família de completa ignorância nesse sentido e a criança é que sofre na mão dessas "portas", ops "pais".


Bem, é uma história linda, difícil, mas muito boa para aprendizado e análise de diferentes nuances do ser humano. Por isso que na capa do dvd tem a pergunta: o quão longe você iria para proteger um segredo?
=)

sexta-feira, 10 de abril de 2009

Jesus


De Onde Vem A Calma
Los Hermanos
Composição: Marcelo Camelo

De onde vem a calma daquele cara?
Ele não sabe ser melhor, viu?
Como não entende de ser valente
Ele não saber ser mais viril
Ele não sabe não, viu?
Às vezes dá como um frio
É o mundo que anda hostil
O mundo todo é hostil
De onde vem o jeito tão sem defeito
Que esse rapaz consegue fingir?
Olha esse sorriso tão indeciso
Tá se exibindo pra solidão
Não vão embora daqui
Eu sou o que vocês são
Não solta da minha mão
Não solta da minha mão
Eu não vou mudar não
Eu vou ficar são
Mesmo se for só não vou ceder
Deus vai dar aval sim
O mal vai ter fim
E no final assim calado
Eu sei que vou ser coroado rei de mim.
Hoje é dia de pensar no que Jesus passou naquele dia de tanto sofrimento, mas não apenas isso, gosto mais de lembrar de Jesus sorrindo, sereno, conversando com milhares de pessoas nos montes...tenho certeza que essa foi a parte mais importante dele aqui na terra.
Feliz Sexta-feira da Paixão.

quarta-feira, 8 de abril de 2009

LULA É O CARA!


"O gigante começa a tomar vulto e assumir sua posição na arena global. Embora muitos critiquem a didática pouco convencional do presidente Lula, e por mais que a oposição intensifique seus ataques inócuos ao lembrar "a tsunami e a marolinha", basta comparar os números da economia (% e absolutos) e ver que de certa forma é verdade. Equanto se discute a falência de empresas como GM e Crysler nos EUA, no Brasil (em meio a maior crise economica da história) as montadoras anunciaram no inicio da semana vendas recordes(março), um crescimento razoável comparado à março de 2008 quando as mesmas estavam em franco crescimento e não havia crise... o governo barsileiro entendeu que o remédio não era dar dinheiro diretamente aos empresários, e sim facilitar o consumo e assim produzir mais e fazer a economia voltar ao normal, amarrando a ajuda aos setores da economia à manutenção de emprego. É fato indiscutível que o presidente Lula não conseguirá resolver todos os problemas da crise, niguém sozinho conseguirá, porém é indiscutível o papel do Brasil neste momento, basta observar as colocações de líderes com Gordon Brown e Obama, entre outros... É saudável contrapor as opiniões, faz parte da civilidade, contudo isso deve ser feito de forma inteligente... Hoje antes da reunião dos líderes do G20, Obama (herói eleito pelo mundo) cumprimentou Lula, olhou para o 1ºMinistro da Austrália e falou(de Lula):"esse é o cara...eu adoro esse cara" Acho que a classe média brasileira, vai rever alguns conceitos... "
Faço minhas as palavras desse nobre cidadão chamado Valter F.
Não sei escrever lá essas coisas sobre economia, mas entender eu entendo um pouco e o fato de morar com duas pessoas tão politizadas e altamente pró-Lulinha paz e amor ajuda.
Deu muito orgulho de ver nosso Presidente no meio da cúpula da economia mundial e melhor: se destacar.
Isso tudo que está acontecendo com nosso país, de estar sendo tão bem representado lá fora, do orgulho que estamos sentindo por estarmos sendo considerados numa reunião entre os 20 mais mais so mundo, só é reflexo de uma administração séria, coesa, vinda de uma pessoa sensata e sobretudo humana como é o Lula. Quem diria que aqueles pmdbistas, pflistas(hj democratas), enfim toda a corja da direita ia ficar de longe vendo o Lula triunfar, e com ele a classe pobre diminuindo, a média aumentando e a alta...bem a alta tá indignada porque não tem um Presidente que governe só pra ela, estes são os que votarão contra a Dilma nas próximas eleições presidenciais, perigando quebrar todo o trabalho que vem sendo feito desde 2002 de desenvolvimento do Brasil.
Como disse Barack Obama, Lula é o cara!
=***

quarta-feira, 25 de março de 2009

estudar...

A imagem diz exatamente o que tenho feito ultimamente. Na verdade será assim nesse último ano da faculdade. Que bom! Não vejo a hora ter meu diplominha na mão, aiai...
Mas sinto saudades de ter pelo menos um tempinho pra passar aqui e conversar com vcs.
Até breve!

=)



segunda-feira, 9 de março de 2009

astros


Signo de Virgem


Março é um mês em que você pode mudar rotas e tomar atalhos na direção certa de alguns de seus sonhos. Chegou a hora de dar a partida em modificações essenciais para que sua vida se renove. Não são medidas extremas, nem dramáticas, mas se você aproveitar cada dia deste mês para dar um pequeno passo, em dois meses estará vivendo mais perto do seu ideal. Esta orientação vale em sentido geral, embora se aplique com mais ênfase nas suas relações estáveis.


Você também já deve ter percebido que quanto mais deseja controlar, a si mesmo, aos outros ou aos eventos, mais a dinâmica incontrolável se apresenta a vida. É a oposição entre Saturno e Urano que espelha nos céus esta divergência entre duas forças: a da liberdade e do compromisso, muitas vezes assentado sobre o medo de perder sua estrutura de vida. Março traz mais de uma situação em que isso será verdade, com a sorte de que agora você estará aberto ou curioso para ver onde é que isso vai levar você.


Um dos meios poderosos para você encarar o desafio de equilibrar o passado com o presente, o contemporâneo com o antigo e o incerto com o seguro será o diálogo. Converse, abra a alma, consulte-se com alguém, mas faça tudo isso de forma sensível, justa e verdadeira. Nada de sair com subterfúgios ou criticar quem quer ajudar você a se ver mais fundo e melhor. É muito fácil para um virginiano desencorajar as almas caridosas que adorariam ajudá-lo. Basta apontar dois ou três defeitos, reagir com um humor corrosivo a seus comentários e pronto. Mas agora, em março, você tem de se perguntar: é isso mesmo que eu quero? Ser visto como alguém que nunca escuta boas dicas? Examine seu comportamento e mude. Você verá como tudo ao seu redor vai reagir bem a isso.Na terceira semana, o Sol entra em Áries (20/3) inaugurando o outono e o início do ano astral que será regido por ele, indicando que os próximos 12 meses serão de avaliação e reposicionamento, adaptação e finalização de uma fase de vida para que possa começar um ciclo de novidades em sua vida.Até o final de março, a tendência segue firme. No entanto, entre 26 e 27, tente não fazer o estilo desconfiado e fuja de situações pesadas e estressantes.


Como é que pode ? O simples movimento dos astros desestrutura e bagunça tudo aqui dentro =(


Nada a declarar, depois de ler isso e muito mais no site do UOL, só resta trancar-me no quarto e esperar o mês de abril chegar.

quarta-feira, 4 de março de 2009

vibração oscilante


"Não entendo. Isso é tão vasto que ultrapassa qualquer entender. Entender é sempre limitado. Mas não entender pode não ter fronteiras. Sinto que sou muito mais completa quando não entendo. Não entender, do modo como falo, é um dom. Não entender, mas não como um simples de espírito. O bom é ser inteligente e não entender. É uma benção estranha, como ter loucura sem ser doida. É um desinteresse manso, é uma doçura de burrice. Só que de vez em quando vem a inquietação: quero entender um pouco. Não demais: mas pelo menos entender que não entendo".


Clarice Lispector


Faço minhas essas palavras de Clarice. Tantas coisas que não entendo, tantas a a serem deixadsa de lado sem serem explicadas para que a paz volte a reinar. Sempre que estamos em momentos reflexivos achamos que estamos tristes, mas não deveria ser assim, pelo contrário, deveriam ser bemvindos os minutinhos consigo mesmo, pois quase sempre são neles que crescemos, que nos encontramos. Procurar respostas de realidades concretas pode ser um convite ao devaneio. As indagações vem e vão com muita desenvoltura. Quando uma lágrima cai é sinal de que algo de chato foi concluído e pior, clama por atitudes, mudanças que não me são queridas.


Pela primeira vez amo alguém que me ama, na verdade pela primeira vez o amor me visita. Mas, porém, contudo...posso usar todas as conjunções adversativas existentes na língua portuguesa para expressar que isso não é tããão simples assim. Se o fosse estranharia, haja vista morar num planetinha complicado que (ainda) não dá pra ser feliz totalmente devido sua baixa vibração.


Falar em vibração a minha anda oscilante.


=/

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

É carnaval!


O carnaval é considerado uma das festas populares mais animadas e representativas do mundo, mas tem a cara mesmo é do Brasil. Tem sua origem no entrudo português, onde, no passado, as pessoas jogavam uma nas outras, água, ovos e farinha. O entrudo acontecia num período anterior a quaresma e, portanto, tinha um significado ligado à liberdade. Este sentido permanece até os dias de hoje no Carnaval.

O clima já está no ar.

Impressionante como essa época contagia a todos sem distinção.

Seja para brincar, seja para descansar, a verdade é que não há quem não goste desses dias de farra momina.

Na praia, na serra ou em casa mesmo dá para aproveitar essa semaninha gostosa com quem se gosta.



Eu particularmente, já passei alguns anos sem arredar o pé de casa, estava enjoada desse carnaval de praia daqui do Ceará, por mim eu iria mesmo pra Olinda, aproveitar todo aquele clima lúdico, com máscaras, fantasias e adereços mil, algo semelhante aos carnavais da Europa, mais precisamente ao baile de máscaras de Veneza, coisa mais linda. Fui apenas 1 vez e amei ( pra Olinda e não p Veneza kkkkk, AINDA, quem sabe um dia).Espero voltar no futuro.



Esse ano vou para a mesma casa de praia em Majorlândia, foi lá que meu amor e eu nos conhecemos. Esse é um dos motivos de voltarmos para lá, ele porque quer comemorar lá o nosso 1º ano, eu para agradá-lo, porque por mim, iria comemorar em outro lugar melhor.



Quando a gente ama faz cada coisa...inclusive aceitar ir para onde não se quer ir.

Aliás, isso é o de menos, a gente faz coisa bem pior.

Mas, o bom mesmo é estar ao lado de quem amamos, seja onde for, limpo ou sujo de goma ou farinha não importa, o que vale é ser feliz.

Bom carnaval a todos e juízo, muito juízo!

=D

domingo, 8 de fevereiro de 2009

wall-e

Domingo passado, foi domingo de chuva e cama o dia inteiro, então aproveitei pra alugar filme e relaxar.

Wall-e


Esse filme é um desenho da Disney, ultimamente eu tô ficando fã de desenho pode? depois de véia kk


Se passa no futuro, o personagem principal é um robozinho fofo e todo romântico, embora seja uma máquina e que de amigo só tenha um inseto. A sua tarefa é tirar os resíduos de lixo que ficou na terra depois de todos os habitantes terem saído daqui pra morar numa nave no espaço. Por falar nisso, a rotina dessa nave é um horror, as pessoas nunca levantam das poltronas, comem pizza e tomam refri o tempo todo que conversam com os amigos virtuais, que por sinal às vezes estão do lado e nunca viram. A nave era imensa e tinha de tudo, até piscina, mas tinha gente que nunca tinha visto. Ah detalhe, pelo sedentarismo, alimentação errada e a internet "distanciando" as pessoas, elas tornaram-se obesas.Parece estranho, mas é improvável que nosso futuro seja assim? Todos sabemos que não. Claro que hoje em dia ainda há que ache um exagero, mas essa realidade mostrada no desenho é num futuro muuuuito distante. Sabe porque o terráqueos foram embora? porque não tinha mais como nenhum ser humano morar aqui, em virtude do lixo, que os próprios construíram.


Bem, o robozinho doce e fofo de repente recebeu uma visita, uma robô bem mais evoluída que ele foi para lá à procura de vida vegetal, e achou, o Wall-e tinha uma plantinha guardada, a única que sobrou depois que a terra se tornou planeta inabitável. Esta muda de planta foi a responsável por fazer com que os obesos existentes na nave pudessem se levantar das poltronas e tentar andar, isso mesmo tentar, pois fazia muito tempo que não faziam isso. Conseguiram ganhar a luta contra o piloto automático da nave e puderam voltar e reconstruir esse planeta tão lindo. A mensagem desse filme é muito boa, faz com que reflitamos sobre o que estamos fazendo com a terra, com o descaso com que muitas pessoas atuam em nome do dinheiro. Muitas empresas usam do que a natureza oferece e não o faz de forma sustentável.



Viver se forma sustentável é usufruir do que a natureza nos oferece, mas de forma responsável, garantindo sadia qualidade de vida para as presentes e futuras gerações.



O principal responsável pelo futuro de nosso planeta é o homem. A consciência de economizar água, separar lixo para reciclagem e não derrubar árvores além de muitas outras atitudes depende de nós.


Mas a parte romântica do filme é muito fofa, cuti cuti, porque o amor entre duas máquinas claro que é algo impossível, mas a forma como foi mostrada pode acontecer entre os homens numa boa, em pessoas que têm o coração aberto para o carinho, o apego, o companheirismo, enfim o amor.

E viva a natureza e o amor!

=)

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

1 ANO

O Amor

Quando encontrar alguém e esse alguém fizer seu coração parar de funcionar por alguns segundos, preste atenção. Pode ser a pessoa mais importante da sua vida.

Se os olhares se cruzarem e neste momento houver o mesmo brilho intenso entre eles, fique alerta: pode ser a pessoa que você está esperando desde o dia em que nasceu.

Se o toque dos lábios for intenso, se o beijo for apaixonante e os olhos encherem d'água neste momento, perceba: existe algo mágico entre vocês.

Se o primeiro e o último pensamento do dia for essa pessoa, se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração, agradeça: Deus te mandou um presente divino: o amor.

Se um dia tiver que pedir perdão um ao outro por algum motivo e em troca receber um abraço, um sorriso, um afago nos cabelos e os gestos valerem mais que mil palavras, entregue-se: vocês foram feitos um pro outro.

Se por algum motivo você estiver triste, se a vida te deu uma rasteira e a outra pessoa sofrer o seu sofrimento, chorar as suas lágrimas e enxugá-las com ternura, que coisa maravilhosa: você poderá contar com ela em qualquer momento de sua vida.

Se você conseguir em pensamento sentir o cheiro da pessoa como se ela estivesse ali do seu lado... se você achar a pessoa maravilhosamente linda, mesmo ela estando de pijamas velhos, chinelos de dedo e cabelos emaranhados...

Se você não consegue trabalhar direito o dia todo, ansioso pelo encontro que está marcado para a noite... se você não consegue imaginar, de maneira nenhuma, um futuro sem a pessoa ao seu lado...

Se você tiver a certeza que vai ver a pessoa envelhecendo e, mesmo assim, tiver a convicção que vai continuar sendo louco por ela... se você preferir morrer antes de ver a outra partindo: é o amor que chegou na sua vida.
É uma dádiva. Muitas pessoas apaixonam-se muitas vezes na vida, mas poucas amam ou encontram um amor verdadeiro. Ou às vezes encontram e por não prestarem atenção nesses sinais, deixam o amor passar, sem deixá-lo acontecer verdadeiramente. É o livre-arbítrio. Por isso preste atenção nos sinais, não deixe que as loucuras do dia a dia o deixem cego para a melhor coisa da vida: o amor.
Carlos Drummond Andrade



Diel,
você me faz imensamente feliz.
Hoje é o 1º aniversário de namoro.
O 1º de muitos que ainda virão.
Paty

domingo, 1 de fevereiro de 2009

Nunca desista de você

Uma das coisas que está na lista desse ano é que tenho que ler 2 livros por mês. Ótimo, estou cumprindo, li no mês de janeiro exatamente 2. Foram os seguintes:

Crepúsculo



Conta a história de uma adolescente que muda de cidade, vai morar com o pai numa cidadezinha que ela jurava destestar, mas não foi bem assim, pois se apaixonou por um rapazinho liiindo, segundo ela, misterioso, e muuuito atraente. Seu amor passa a ser correspondido, fazendo com que a atração dos dois cresça ainda mais quando a personagem principal passa a ser alvo de inúmeros incidentes, e em todos eles o jovem rapaz liiindo estava lá para salvá-la. Bem essa não parece ser uma história tããão interessante assim não é, contudo o diferencial da história é que o rapaz não é comum, ele é um vampiro, não é adolescente, tem mais de oitenta ano de idade.
A história dos dois é contada de uma forma tão detalhada que nos faz sentir aqueles mesmos sentimentos de quando éramos adolescentes. Os medos, os receios, as dúvidas e aquela vontade enorme de ficar junto de quem amamos, ou de quem achávamos que amávamos. Na realidade, esses sentimentos não morrem, só se aprimoram, pois em qualquer idade quando estamos afim de alguém a vontade de ficar grudado existe, cada frase dita pela pessoa amada tem um valor incrível, cada olhar, cada encontro é mágico. A diferença é que quando crescemos o frio na barriga é diferente, pois devido a experiência que já adquirimos ao longo da vida temos um pouco mais de segurança, só um POUCO mais, nada que nos transforme em bambambans no assunto. Acho que nunca vamos chegar a esse patamar no quesito amor. Em todas as fases da vida estamos nos conhecendo e nos reconhecendo mais. O que mais me agrada na leitura de um livro é isso, de repente o que está contido nele nos leva de volta a quem nós éramos, ou melhor, a quem nós somos e por diversos motivos acabamos esquecendo.




Nunca Desista dos Seus Sonhos






Esse livro é um típico livro de auto-ajuda. Muitos criticam demais esse tipo de literatura, há até quem diga que não é, mas eu não concordo com isso, acho que o que nos faz bem, o que nos traz bem-estar e nos leva à reflexão é um bom livro. O rótulo não importa, o que vale é a capacidade que o autor tem de nos transformar, nem que seja um pouqunho, mas se conseguir, já valeu a pena lê-lo. Esse traz a história de 3 grandes ícones da história, chamados por Augusto Cury, de sonhadores. Para ele o sonho é o que nos faz crescer, ele o equipara a uma bússola que nos indica os caminhos que seguiremos e as metas que queremos alcançar.


No meio da leitura - que é rápida, pois o autor tem como característica a narrativa leve - percebemos o quanto somos fracos, pois quantos sonhos já tivemos e por medo, por qualquer motivo bobo deixamos para trás. Eu pelo menos já sonhei com tantas coisas nessa vida. Já tive plena certeza de que queria morar fora do país, cá ainda estou. Já quis ser normal, mas isso não conseguirei mesmo. Já quis ser paquita (onde já se viu paquita preta?) kkkkkkkk (nunca ria dos sonhos dos outros, nem mesmo dos seus). A Xuxa vivia dizendo que a gente podia tudo, eu acreditei ué. Porque era ingênua, ainda não tinha noção de que nem sempre as coisas acontecem.Quando tinha 15 anos já quis até ser modelo, de quê é que eu não sei kkkkkkk. Já quis ser juíza de direito. Acho que de todos esse é o que ainda pode ser realizado. O sonho de passar num concurso é o do presente. Ah não, o de me formar é o que está na prioridade. Vestir a beca, ver todas as pessoas que eu amo lá do meu lado no dia da colação...do baile...já imaginei tanto essa cena. Quanto ao concurso já conheci várias pessoas que já o alcançaram e outras que não, embora queiram. Mas sei o que difere umas das outras. É a perseverança. Quando nós desistimos de nossos sonhos, estamos dizendo não a um futuro provável. O segredo é continuarmos apostando em nós mesmos. De que somos capaz de conseguir aquilo que sonhamos, que almejamos. Por mais que pareça pouco provável, se souber qual o caminho e segui-lo com foco. Pronto. Não tem errada. Consegue mesmo. Tomara que eu não desista de mim de novo. Nunca mais.
Resume da ópera: Nunca Desista de Você!
=)

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Minha Verdade

Como ser verdadeiro num mundo em que a mentira voga? Tentar usar a verdade, ser honesto, probo, é algo um pouco complicado. Teoricamente talvez não fosse, mas na prática é. E como é. A verdade choca, quem a dita e quem a ouve. O que fazer diante de um susto inesperado, tanto do senhor da verdade quanto do interlocutor? Voltar atrás e desdizer a verdade ou maquiá-la como um presente de grego para o outro, pois há quem diga que não há nada melhor que a verdade, sendo assim... Como nos preparar para dizê-la, para ouvi-la, para conviver com ela? Não é tarefa fácil, repito. A verdade é parenta da honestidade, porém esta parece ser mais ampla que aquela. Ser honesto implica dividir a verdade com o outro, mas precipuamente consigo mesmo. Ser detentor da verdade e não proclamá-la ao mundo pode ser um pecado, um crime até, semelhante ao de omissão. As consequências que a verdade pode trazer é que a faz ser tão temida. Se nada mudasse não teria quem a guardasse. Muito complicado lidar com a verdade, corroboro. Nem todos gostam de ouvi-la, por mais que seja de bom ouvitre. Muitos dariam a vida por ela. Por mais bizarro que possa parecer, há quem a possua e faça de conta que não. Mente para si mesmo, prefere o aperto de mãos seco da mentira que o abraço da verdade. Dizer a verdade pode trazer muita dor, mas também traz alívio e dias depois, contentamento, por não ter mais que carregar o peso de ser o único detentor dela. Ouvir a verdade que não pediu é chato, sei disso, porém não dá aval para a desfaçatez. Entretanto, é bem verdade que fazendo a nossa parte dormiremos em berço esplêndido e o outro que não a quis, que permaneça na companhia da "pseudoverdade". Há quem não aceite a verdade e sendo assim crie e creia na sua própria, por ser mais cômodo. Minha avó dizia: "tem gente que se faz de besta para melhor poder passar". Contudo há os que não a tendo creia na dos outros, mesmo sabendo que de honesto a verdade do outro não tenha nada. A lição que a verdade nos dá é que devemos levantar a cabeça e seguir nosso caminho, feliz por ser honesto com a nossa verdade. Essa é que é a verdade.
=/

Símbolo japonês que significa VERDADE



Segue um texto de meu amigo Carlinhos Drummond








A Verdade





A porta da verdade estava aberta,


Mas só deixava passar


Meia pessoa de cada vez.


Assim não era possível atingir toda a verdade,


Porque a meia pessoa que entrava


Só trazia o perfil de meia verdade,


E a sua segunda metade


Voltava igualmente com meios perfis


E os meios perfis não coincidiam verdade...


Arrebentaram a porta.


Derrubaram a porta,


Chegaram ao lugar luminoso


Onde a verdade esplendia seus fogos.


Era dividida em metades


Diferentes uma da outra.


Chegou-se a discutir qual a metade mais bela.


Nenhuma das duas era totalmente bela


E carecia optar.


Cada um optou conforme


Seu capricho,sua ilusão, sua miopia.





(Carlos Drummond de Andrade)

In my opinion


"Não sei quando a minha opinião vai ter algum valor nessa vida".
Essa frase foi dita por mim, agora a pouco.
Existem coisas que me angustiam demais e uma delas é o fato de minhas idéias ou opiniões não terem valor algum na minha casa. Nem sei se fora dela tem, mas as pessoas as quais convivemos são as que mais importam, o que elas pensam sobre nós é o que vale.
Vivemos numa sociedade um pouco cruel, pois valorizamos (vou falar na 3º pessoa porque faço parte dela) a opinião de quem tem mais "sucesso profissional" - leia-se : dinheiro.
Ontem mesmo eu tava pensando nisso quando vi numa capa de revista a foto de uma atual apresentadora de tv beijando o marido. Ela que teve um relacionamento extra-conjugal com um astro do rock (horroroso por sinal), casado, com filhos, engravidou e o que ela ganhou foi fama, programa na tv, muitas entrevistas, casamento com o dono de emissora de tv...e uma gorda pensão alimentícia para o filho.
Todos queriam escutá-la, todos queriam saber o que essa mulher tinha a dizer.
Quanta hipocrisia. Tanta gente interessante com grandes idéias, com conteúdo, bagagem intelectual sendo desprezada.
Eu que não sou lá essas coisas, só queria ser aceita dentro do meu ambiente familiar me sinto mal, imagina essas pessoas.
Mas acho que elas não estão nem aí pra opinião de ninguém. Estão certíssimas. Queria ser assim, mas não sou.
Dói quando eu falo alguma coisa, dou alguma idéia, alguma dica para o bem de alguém e além de não ser considerada, ainda escuto o que não esperava.

Porque será que damos tanta importância a coisas desse tipo?

Gente é bicho esquisito, tudo bobo.
Na minha opinião de pessoa magoada, acho que essa situação só é assim porque eu não tenho uma renda, não trabalho, não tenho vida própria.
Quando o contexto mudar, se Deus quiser mudará, prestarei bem atenção em tudo e em todos, e vou pensar se direi alguma coisa quando me perguntarem, minha opinião vai custar caro.

HAHAHAHAHAHAHAHAHAH!!!!!!!!!!!!

p.s: risada tipo drácula.
=/



quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

De mim




Nesta manhã chuvosa acordo com saudade.
Saudade de uma pessoa alegre, motivada, ocupada.
De uma pessoa que todos gostam de ter por perto, principalmente eu.
De alguém que luta, crê em si, num futuro bom - como diria J.Quest.
Será que essa saudade chegou porque o sol saiu de cena pra deixar a chuva dar seu show?


Creio que não, faz um tempinho que essa saudade tá aqui dentro.


Hoje ela só está mais forte.
Tem uma canção que diz que ' saudade é palavra triste' , não concordo, nem sempre ela é assim.
Essa saudade que sinto hoje não é triste, pois de quem sinto falta é alegre, risonha, cheia de esperança.
Quando essa pessoa voltar com ela voltará a minha felicidade, a minha alegria, a minha paz.


Que bom que tenho de quem sentir saudades, pois houve um tempo diferente.


Tempo em que eu ansiava ao menos conhecer essa pessoa.


Bem, já conheci, gostei e hoje que ela não está aqui, sinto falta.


Falta boa de sentir, por isso não é triste essa saudade, é alegre, isso sim.
Tão ruim não ter por perto quem a gente gosta.
Espero com ansiedade que a saudade passe e que a pessoa volte.

p.s: sinto saudades de mim.

Bom dia!

=)

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

cara nova


Hoje, meu blog tá de cara nova.
Acordei com uma vontade de mudar.
Será que é porque é segunda-feira? hummm acho que não, pois se fosse por causa do dia, talvez eu estivesse com preguicite.

Resolvi mudar o antigo porque já estava o mesmo desde sua criação, em 2007. Não sei como não havia mudado antes, do jeito que sou...enjôo de "quase" tudo com facilidade.

O que vocês acharam?

Demorei uma manhã inteira para chegar a essa conclusão, mas ainda tô insegura kkkkk


Acho muito válido dar uma repaginada em coisas do nosso dia-a-dia, quando é possível, claro. Se pegamos o mesmo caminho para o trabalho, que tal, mudarmos de caminho, só pra variar, olharmos outras paisagens, dar uma revigorada. Difícil é quando usamos um universo diário e não temos como mudá-lo, aí sim, é bom arrumar uns brincos novos ou acessórios para o cabelo (para a ala feminina), ou mudar o cinto ou meia (para os rapazes) kkk, mas isto apenas para os que compartilham da mesma idéia que eu, pois há quem ame a rotina, dá sensação de segurança e tranquilidade, segundo eles.

Bem, boa semana a todos.

Beijos e mais beijos.

=)

sábado, 17 de janeiro de 2009

Maysa


Ontem terminou a minissérie Maysa. Dirigida por seu filho, Jaime Monjardim, escrita por Manoel Carlos. Decidi escrever sobre isso apenas quando terminou para ter uma idéia mais clara do que ia passar na tv. Inicialmente eu achei que ia ser mostrado apenas o lado bom dela, afinal sendo um trabalho de iniciativa do próprio filho, nada mais natural. Porém não foi nada disto.


A série foi baseada na história de uma mulher que por trás de muita beleza exterior,muita fama, sucesso, dinheiro, carregava muita dor, uma tristeza que a invadia e a fazia fazer coisas inpensadamente. O alcoolismo, o cigarro, os remédios para dormir eram seus parceiros diários. Talvez naquele tempo tudo o que as pessoas viram fosse uma porra-louca irresponsável endinheirada, que fazia oq ue lhe dava na telha sem se preocupar com a opnião de ninguém, mas hoje talvez fosse vista como uma doente. Era tomada pela depressão, em sua faze eufórica. Muitas pessoas não sabem, mas existem vários tipos de pacientes depressivos. Aqueles que ficam trancados em um quarto sem ter coragem nem para afastar as cortinas e ver o mundo lá fora e tem aqueles que não conseguem ficar em casa, tem de sair, correr, fazer algo que o faça se sentir vivo, sem interessar o que seja. Esses são os casos que eu conheço de perto, certamente devem ter outros.


Essa doença é cruel tanto para quem a possui quanto para quem convive com o paciente dela. A compreensão é a melhor amiga, mas nem sempre se consegue ser indulgente, e fazer vistas grossas para tudo.


Na realidade ela era uma mulher que passou a vida inteira procurando a felicidade incansavelmente, mas em coisas totalmente mundanas, externas. Buscou algo que a preenchesse por dentro, que lhe desse prazer, alegria, mas que não acabasse junto com a ressaca. Sua vida foi movida a farras, bebidas, vários relacionamentos fracassados, tudo porque ela não conseguia ser feliz. Não conseguia se entender. Quando a pessoa não se acha, não se compreende, não sabe o que tem, porque sofre, o que lhe falta, tudo parece sem sentido, nada vale a pena. O fato de ela ter tentado o suicídio por duas vezes (essa é a versão mostrada para a gente) só mostra que ela estava cansada de tentar, cansada de levar uma vida complicada, cheia de sucesso baseado em escândalos.


Tão linda, rica, possuidora de uma voz forte, inconfundível. Poderia ter sido muito feliz e ter feito as pessoas que a cercavam também felizes, mas sua loucura, sua doença, só a afastou de seu filho, de sua família, de seu verdadeiro amor.


Que ela tenha encontrado no plano espiritual o que tanto buscou aqui na terra: paz.


P.S: isso não é um julgamento, só minha leiga opinião.

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Tempo - mano véio


Hoje eu resolvi falar sobre o tempo.

Esse que sem percebermos faz parte de nossa existência.

Esse que às vezes é nosso melhor amigo, outras nem tanto.


Quando somos crianças ele parece ser o máximo, pois tudo o que queremos é tê-lo para brincar, se divertir, correr, enfim, viver.





Quando estamos na fase adolescente ele é um terror, pois nosso humor fica de lua, muda a toda hora devido os hormônios.
Quando já chegamos a idade adulta, é quando ele diminui, só falta sumir, pois não o temos mais para ver os amigos, assistir filme comendo pipoca em pleno dia.

Quando estamos sem ele ficamos ansiosos, preocupados, a mil por hora, tudo pra tentar resolvermos as nossas pendências dentro dele.

Quando estamos com ele de sobra, ele parece não passar. Ficamos até entediados procurando alguma coisa pra fazer pra ver se vemos ele passar.

Quando estamos a espera de um telefonema importante, um minuto parece um dia inteiro, uma hora então...nem se fala.



Quando estamos ao lado de quem amamos ele parece não existir, acho que apenas nesse momento que isso acontece. Mas apenas quando o casal apaixonado está com ele de sobra, pois quando um dos dois não está, aos olhos do outro ele parece correr.



Quando estamos a estudar para uma prova importante, cada 24h diminui incrivelmente, a matéria parece crescer e se multiplicar porque quanto mais estudamos, mais temos a impressão de que precisamos de mais e mais.


Quando estamos tentando esquecer alguém ele, o tempo, é o nosso melhor amigo, é ele que nos ajuda a nos resignar e aprender a lição que a situação oferece.


Quando estamos dodói, não vemos a hora do tempo de repouso passar, o tempo nessas horas, fica looongo.


Quando estamos com insônia, ele parece se multiplicar, principalmente quando não temos mais opção para fazer o sono chegar, depois de tantas tentativas.


A ausência dele nos deixa com a sensação de que tá faltando alguma coisa para nos completar.


O excesso dele também, pois quando não temos nenhuma atividade, tudo o que queremos é encontrar uma p'ra dizer à todo mundo que não temos mais tempo pra nada.


Mas na realidade, a gente só tem que aprender a lidar com ele, fazendo com que os minutinhos de cada dia sejam bem aproveitados ao lado de quem amamos, e fazendo as atividades que nos dão prazer.
À propósito, hoje é aniversário de nascimento de minha avó, ela faria 86 anos. Como será que ela estaria aqui com a gente? Ela fez a viagem cedo demais, já vai fazer 19 anos. Eu era uma criança. Nunca vou me esquecer do susto que levei quando cheguei da aula e a vi ali, na rede, deitada. Parece que foi ontem. Ao mesmo tempo não, parece que foi na vida passada. Aprendemos a lidar não apenas com o tempo, mas também com os sentimentos que ele nos deixa. é ele que nos ajuda a esquecer os momentos ruins e a guardar apenas os bons. Isso é bom.

Namastê - O Deus que habita em mim, saúde o Deus que habita em você.

=)

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Certo?




Recentemente o escritor gaúcho Fabrício Carpinejar postou em seu blog ( www.fabriciocarpinejar.blogger.com.br) um artigo que falava que os casais não deveriam separar-se em dezembro. Falou do quanto é constrangedor e extremamente mais doloroso terminar um relacionamento neste mês pelas datas festivas, por ter que dar explicações à família e aos amigos, enfim. Contudo, no fim do dito mês, ou seja, no fim do ano, ele postou outro artigo já com seu casamento finalizado, despedindo-se de sua ex mulher, de um relacionamento de 13 anos, que seus leitores assíduos acompanharam de perto. Porém alguns leitores fizeram comentários tão chatos, tão invasivos, em relação a sua suposta contradição - digo suposta porque hoje entendo o porquê do post da não finalização do casamento em dezembro, provavelmente ele e sua mulher estivessem prestes a romperem - não sei até que ponto os leitores tinham esse direito. Talvez nem mesmo a família e amigos próximos de Carpinejar tenham agido assim. É o preço da super-exposição, embora ele sempre exponha seus sentimentos da forma mais poética e encantadora que existe, não teve jeito, a cobrança veio e veio pesada, da forma mais insensível possível, até piadinhas fizeram, de que ele estava se fazendo de vítima e que na verdade já estava passeando com outra riquinha mais jovem pelas ruas. Um horror!


Na vida real - ou seja, para nós mortais - isso também ocorre. Ninguém tá livre de fazer algo parecido, pois somos seres mutantes, hoje temos plena certeza do que queremos, amanhã...nem tanto. Mas se estamos na chuva é pra se molhar. Se estamos nesse mundo é aprender, pra cair, pra se contradizer, porque não?são nesses momentos de conflitos que nos conhecemos realmente, ou não. Pois lá na frente lá estamos nós novamente comentendo os mesmos erros e tomando decisões totalmente diferentes das quais tínhamos tanta certeza de que tomaríamos. Isso é certo ou errado? Não se sabe. O que é certo é que todos queremos ser compreendidos, todos necessitamos da aprovação do outro, até do vizinho do amigo da prima do cunhado. Porquê? mais uma pergunta sem resposta. O certo seria agir como Carpinejar, assumindo seus sentimentos sem medo, sem culpa, pois é o momento em que ele está aprendendo a viver. Tentar compreendê-lo é tentar compreendermos a nós mesmos, se agíssemos assim sempre, evitaríamos muitos julgamentos desnecessários.


Abraços e muita luz!


=)