terça-feira, 12 de maio de 2009

change


Antigamente eu era tão radical com tantas coisas. Talvez por imaturidade ou por características minhas mesmo, só sei que hoje não me sinto mais assim. Porque será? Será que o passar dos anos vai nos moldando e nos trnsformando em seres menos afoitos? Será que de repente nos vermos não agindo como outrora nos torna um outro ser? Será que tudo isso é bom? Não sei, não se de muita coisa. O que eu sempre quis, depois de conhecer a doutrina espírita era me tornar uma pessoa zen, tipo assim, que os problemas vem e vão e o equilíbrio lá imperando, admiro muito quem é assim. Mas não tenho certeza se estou ficando assim, ou se estou sendo acomodada. Os sentimentos afetivos que vão se fortalecendo a cada dia parecem ter mais força que os outros que já existiam. A razão parece enfraquecer. É isso que temo. A emoção tem que ser mais forte? tem que mandar sempre? Não, disso eu acho que tenho certeza que não. O ideal é que elas caminhem juntas. Porém na vida real, não é tão simples quanto parece ser. A realidade é cruel. Ela nos exige que sejamos corretos e que tomemos decisões. Existem certas pessoas, importatíssimas em nossas vidas que possuem algumas características que não condizem em absoluto com nossa postura de vida. A recíproca é verdadeira. Devem ser as tais provações, as pessoinhas que aparecem para nos testar, e para servir de degrau para nossa evolução. Tem horas que me vejo em dúvida no que tange ao foco, que tipo de foco eu irei seguir. O da razão que diz que não devo fazer vistas grossas novamente ao mesmo fato. Ou à minha postura espiritualista, de que a paciência é um tipo de caridade, aceitar as pessoas como elas são é um de seus pilares, ajudá-las naquilo em que mais precisam, precipuamente estando do lado delas é outro. E o medo de estar agindo errado? onde os coloco?
=/


Um comentário:

crystiannezinha disse...

Adorei aeu blog, passa lá no meu e deixe sua opinião... Bjus