quarta-feira, 9 de abril de 2008

só pra dar um oi


Hoje não estava inspirada para escrever nenhum assunto específico, mas sabia que fazia tempo que não postava aqui no meu cantinho.Ao colocar essa foto, acabei parando para pensar em quantas Patrícias existem em mim...quatro, cinco, nenhuma?não sei.Acho que inúmeras, umas que nunca tive contato outras que já conheço bem, infelizmente, mas penso eu que no frigir dos ovos tenho me dado bem comigo mesma.Lembro de certa vez que conversando comigo mesma na frente da psicóloga (sim, porque ela só balançava a cabeça e escutava, fazia algumas caras e bocas para expressar a surpresa do que eu falava) e falei que não gostava de mim.Que era muito difícil conviver com alguém que não se gosta, quando isso acontece com um ser estranho a você já é complicado, imagina quando esse ser é você mesmo.Como fugir de si?não olhando para o espelho?não, a fuga não é tão simples assim.A solução era tentar me reconciliar comigo mesmo, não tinha jeito.Será que é por isso que algumas tristes pessoas acabam se suicidando?talvez...um dos inúmerso motivos.A respeito disso, outra certa vez estava eu no centro espírita ao qual frequentei assíduamente por anos, num dia em que o tema do Evangelho era "Suicídio e Loucura" e foi lançada a pergunta: - quem pratica o suicídio é covarde ou corajoso?na época lembro que respondi que não tinha uma opinião formada à este respeito, é uma questão supercomplicada, acabamos julgando quem pratica, só sei que para alguém chegar a este extremo com certeza além da grande carga de culpa e escuridão espiritual a pessoa também está arrodeada de espíritos negativos, que ainda carregam em si mágoas, ódios e rancores tão grandes que ultrapassaram as barreiras da vida corporal.Evidentemente que falar sobre isto estando bem, tranquilo, com todos ao seu redor com saúde e tal é bem diferente, é fácil, mas se colocar no lugar de um irmão com tamanha tristeza é que é custoso.
Bem o assunto inicialmente pareceu ser manso, mas não sei porque cargas d'água ele ficou pesado, mas eu estou bem viu, não estou trsite, p baixo nem tampouco desesperançosa, muito pelo contrário, desde ontem que consigo ver luz no fim do túnel para minhas agruras profissionais.Estou estudando "mesmo" para um concurso e sinto que vou passar.Se sinto-me assim, já é meio caminho percorrido, a esperança empurra a gente para o lugar que queremos chegar.E a força que carregamos dentro de nós é o combustível necessário para a caminhada, que por vezes parece ser longa demais, porém o caminho se faz ao caminhar.
*essa última frase não é minha, mas também não sei de quem é.
Aloha!
=)

Um comentário:

Déo Neguinho Atento disse...

pow paty, interessante essa pergunta sobre o suicidio. tô escrevendo a minissérie "o diálogo entre o revolver e a cabeça do suicida" e teu texto me ajuda a refletir sobre isso.
quanto ao concurso, coloque-o no centro do seu alvo, mire bem e lance a flecha.. vc vai acertar em cheio dependendo da sua concentração.

abçs

déo