segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

EsTrAnHa SenSaÇãO

Esses dias estou de um jeito tão estranho, parece que tá tudo lento, 1 minuto demooora a passar, meu raciocínio está ultra devagar, meus movimentos parecem ser friamente calculados.
Curioso que semanas atrás eu estava exatamente o contrário, maxi-elétrica, colocando música alta para dançar e cantar...achei estranho...mas foi bom, foram dias bem agitados.
Hoje não.Nada a ver.
Sinto uma sensação de que estou sem nada por dentro, não dá pra sentir a alegria, nem tampouco a tristeza...não me sinto esperta, mas dá pra fazer as coisas...
Não sei nem se isso é bom ou ruim, se eu tivesse uma pilha de coisas para resolver talvez estivesse achando ruim, mas como o que tenho que fazer é apenas estudar, estou apenas preocupada, só isso (como se fosse pouca coisa).
O futuro está nas minha mãos e eu não consigo plantar nada.
Tenho que acordar logo, rápido.
Será que só eu me sinto assim nesse momento?
Não é possível.
Voltando a falar de futuro.
Esse que não espera por ninguém, esse que nos atropela passando por cima de tudo e de todos.Bem que ele poderia ser menos carrasco, né!Mas ele sendo assim e todos nós tendo ciência disso ainda dormimos no ponto imagina se ele não fosse.
O ser humano (lá vem eu falando disso de novo) é tão mesquinho consigo mesmo que não consegue nem tentar ser um pouco mais forte do que suas gritantes más inclinações.
Quantas vezes nos vemos numa enrrascada e a única coisa que fazemos é deitar a cabeça do travesseiro e chorar...chorar...até se sentir o pior dos seres, daí passa-se para a segunda fase, a do auto-flagelamento, se chamando disto ou daquilo como se adiantasse alguma coisa, adianta nada, ou quase nada, porque por conta disso vem a terceira fase, a da pena de si mesmo.Mas porquê?de que adianta sentir pena de si mesmo depois das ações e omissões pretéritas? de nada, é a resposta.
A atitude necessária é sempre deixada para depois, a ação.
Levantar-se e correr em busca do que ficou para trás é algo muito bonito de se dizer para outra pessoa, alguém que se encontra numa situação dessas, mas e dizer para si mesmo diante do espelho, será que surte efeito?
Não se sabe, essa resposta é muito subjetiva porque depende de cada um de nós.
Eu vou ver se isso funciona comigo agora.
=/
p.s: esse pô-do-sol é a vista de todas as tardes ensolaradas da janela do meu quarto.Lindo né!

2 comentários:

Karl Marx disse...

Do You Wonder?

josivaldo alves disse...

...oi Paty olha gostei muito do q vc escreveu, so nao concordo plenamente cm algumas reflexoes suas ,mas td bm.....nm presciso concordar ne, mas vc escreve muito bm e esse pr d sol ta massa ho.....bjo